IMPLANTES DENTÁRIOS: A ODONTOLOGIA ANTES E DEPOIS

Data: 27/11/2013

Autor: Comunicação Dr.Tiago


Existem momentos que são únicos na história do mundo: a descoberta da pólvora, responsável pela expansão dos exércitos, a descoberta da penicilina por Alexander Flemming, responsável por curar o sofrimento de milhares de soldados de guerra, a descoberta da lâmpada e o domínio da eletricidade, a popularização dos computadores etc. Entretanto, se existe um divisor de águas na Odontologia, ele se chama: implante dentário.


Este elemento pequeno que simula uma raiz dentária artificial esperou mais de 30 anos para atingir todas as partes do globo, mas os resultados clínicos foram devastadores:


• Mudou toda a filosofia odontológica (puramente curativa e reconstrutiva): a chegada dos implantes fez com que os profissionais saíssem de uma fi losofia puramente tecnicista. Retornaram aos cursos de pós-graduação, com anseio de entender uma biologia óssea até então resumida à cicatrização, formação de um defeito e estética lançada à sorte. O número de livros, periódicos e palestras sobre o tema em meados dos anos 1990 e começo do ano 2000 era o carro-chefe. Este “vírus” se espalhou também pelos cursos de graduação.


• Devolveu a esperança aos milhões de desdentados totais: esperar que um paciente totalmente desdentado, com as arcadas maxilares atróficas, pudesse voltar a se alimentar e sorrir era algo insólito, digno de ficção científica, principalmente porque uma vez instalada a perda óssea e a remoção dos dentes, nada se podia fazer. Próteses totais e parciais removíveis eram persona non grata nos consultórios. Neste aspecto, os implantes foram usados nas regiões posteriores não só como elementos de
ancoragem, mas também como sustentáculos de membranas e enxertos ósseos e/ou biomateriais.


• Uniu definitivamente todas as especialidades odontológicas: na época, quem percebeu o que o implante representaria no consultório percebeu também que era preciso entender muito da sobrevida do elemento dentário para indicar corretamente o uso dos implantes osseointegrados.


Caro colega, hoje, podemos consagrar o implante dentário como integrante definitivo do nosso arsenal terapêutico. Que as próximas gerações briguem pelo aprimoramento da técnica (menos invasiva, sempre) e que os pacientes continuem a desfrutar deste verdadeiro milagre!


Adriano Forghieri, implantodontista e presidente da APCD.

Voltar

OUTRAS POSTAGENS

Cirurgia Ortognática

Cirurgia ortognática

Cirurgia Ortognática é o procedimento realizado por Cirurgiões-Dentistas especialistas em Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, para correção dos maxilares e dentes.

É indicada nas situações em que o paciente não possui o encaixe correto dos dentes (Má oclusão dentária) e ao mesmo tempo possui a maxila ou a mandíbula muito para frente ou muito para trás.
Características transmitida geneticamente originam um queixo longo ou curto demais.

A correção estética e principalmente funcional dos maxilares é o principal objetivo da cirurgia ortognática. O aparelho ortodôntico deve ser utilizado antes e após a cirurgia.

Agende uma consulta com Dr. Tiago Tavares para avaliação específica do seu caso.

Mentoplastia. Cirurgia para aumentar ou ...

Mentoplastia.
A indicação da cirurgia é para corrigir defeitos estéticos ou funcionais. Podendo envolver correção de assimetrias e também no auxílio do tratamento da apnéia do sono.

O planejamento é diferente para homens e mulheres, sendo levado em conta o formato do rosto e padrões de etnias. A posição do lábio inferior e a ponta do queixo são alteradas com a mentoplastia, proporcionando um perfil de face mais harmônico e equilibrado.

O procedimento é indicado quando ocorre a finalização completa do crescimento do paciente.

A maior vantagem da Mentoplastia feita por um Cirurgião BucoMaxiloFacial é que os tecidos do próprio paciente são reposicionados, sem a necessidade de inserir uma prótese de silicone ou metacrilato. Isto proporciona ao paciente um novo perfil de face com mais naturalidade.

Para saber mais informações, agende uma consulta com Dr. Tiago Tavares para avaliação específica do seu caso.

Cirurgia ortognática.

O procedimento cirúrgico visa a fazer uma correção das alterações faciais e dar mais qualidade de vida para os pacientes. “Orto” vem de correto, e “gnatos” significa maxilares. As melhorias vão além da estética: a mordida do paciente também melhora.
Esse procedimento ajuda a obter o equilíbrio anatômico do rosto.
Como funciona a cirurgia ortognática?
• Ela busca o equilíbrio anatômico da face.
• É indicada quanto o aparelho ortodôntico não consegue reparar um problema.
• Corrige deformidades ocasionadas por anomalias.
• O trabalho tem início com a ortodontia, antes de ser encaminhado para a cirurgia.
• São feitos exames detalhados para avaliar o problema do paciente.
• Pacientes a partir de 17 anos de idade podem realizá-la.