Doze alimentos que bebê não deve comer antes de 1 ano

Data: 02/02/2016

Autor: Comunicação Dr Tiago Tavares



Criança nasceu, ficou 6 meses no aleitamento materno (se possível) começou a introdução alimentar e as dúvidas do que pode ou não pode começa a gritar dentro da cabeça da mãe. É orientação do pediatra, é informação na internet além de todos os palpites e pitacos, afinal nasce uma mãe, nasce uma rede de pitaqueiros de plantão ao seu lado. O grande problema é que muita coisa mudou e não é mais como na época da sua mãe. Isso mesmo, o que era indicado, dito ser saudável quando você era bebê, não é mais e por mais que você esteja vivo, com uma saúde dita de ferro, estudos existem, foram feitos e perceberam que se não mudarmos nossa cabeça, nossos hábitos alimentares e começarmos desde o início a cuidar da alimentação de nossos filhos, eles serão vítimas de doenças provenientes de excesso de açúcar sódio, gordura e tudo mais que não faz bem e está presente em diversos alimentos de forma intrinseca. Pra ajudá-las, vamos com mais uma listinha básica, fácil de entender com 12 alimentos que bebê não deve comer antes de 1 ano.

1 – Leite de vaca e derivados:

Leite de vaca, derivados (manteiga, requeijão, iogurte, coalhada, queijo) e qualquer alimento que tenha leite de vaca em seus ingredientes não são indicados antes dos 12 meses.

Ah! Pão de queijo como o próprio nome diz: “de queijo” também não pode ;).

A única “exceção” é no caso de bebês que por algum motivo precisam tomar fórmulas alimentares, pois estas contêm traços de leite em sua composição, mas mesmo assim, esses bebês devem esperar completar 1 ano para consumir leite e derivados de fato.

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

2 – Sal:

Bebês não sabem o que é comida com sal, o que é comida com açúcar. Desta forma, tem necessidade nenhuma de acrescentar sal nas papas principais.

Comida de bebê tem que ser saborosa, mas sem o sal adicionado. Basta ser criativa e usar nossos temperos naturais (cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, manjericão, coentro, sálvia, estragão entre outros).

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

3 – Açúcar e tudo que tem açúcar:

Como falei no item anterior, bebê não sabe o que é açúcar até você oferecer. Segundo recomendação da SBP, açúcar deve ser introduzido aos 2 anos de idade e sempre com moderação. Ou seja, até 1 ano NÃO deve ter açúcar na dieta do bebê. Nem na Páscoa com ovos de chocolate, nem em aniversários de amiguinhos, nem porque vão falar: – tadinho, ele vai ficar com lombriga.

Não! Eles não vão ficar com lombriga porque eles não sabem o que é açúcar.

Sim, eles olham tudo o que nós fazemos, mas por curiosidade e não por desejo de comer.

Açúcar engloba tudo e qualquer coisa que tenha açúcar: bolacha de maizena, bolacha maria, petit suisse, açúcar na fruta, açúcar na fórmula, engrossantes, achocolatados, bolos, doces em geral, papinhas industrializadas que contém açúcar, smothies de frutas adoçados, gelatina (qualquer gelatina, mesmo a orgânica) e tudo que tem açúcar (vale a pena repetir).

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

4 – Mel:

É uma delícia, mas não pode ser consumido até 1 ano.

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que crianças com menos de um ano de idade não consumam mel. O objetivo da orientação é prevenir a ingestão de esporos da bactéria Clostridium botulinum, bacilo responsável pela transmissão do botulismo intestinal. Não existem restrições ao consumo de mel por crianças com mais de um ano de idade e adultos sem problemas de saúde relacionados à flora intestinal.

O botulismo é uma doença neuroparalítica grave, não contagiosa, resultante da ação de uma potente toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Quando provocada pela ingestão de alimentos contaminados, é considerada doença transmitida por alimento. Nas amostras de alimentos é comum encontrar formas esporuladas do Clostridium botulinum, em especial no mel.

O botulismo intestinal é um modo de transmissão do botulismo e ocorre com maior freqüência em crianças com idade entre 3 e 26 semanas. Está associado à ingestão de esporos da bactéria presentes em alimento contaminado. Fonte: Anvisa

De acordo com a Portaria 5/2006, da Secretária de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, o botulismo é doença de notificação compulsória. As suspeitas de casos exigem notificação à vigilância epidemiológica local e investigação imediata.

5 – Sucos e chás:

Nove entre dez pediatras falam para começar a introdução alimentar com o suco de laranja lima. Mas essa informação já é errada e tem explicação bem plausível para exclusão do “inocente” suco de fruta da introdução alimentar.

Quando iniciamos a introdução alimentar, iniciamos algo maior do que fazer os bebês comer, começamos o processo de criar hábitos e eles devem ser os mais corretos possíveis. Várias crianças atualmente não comem frutas, não conhecem os diversos tipos de frutas que temos em nosso País e só tomam suco de um ou outro sabor.

Além do fator criar o hábito de comer a fruta, temos os motivos mais científicos: Quando fazemos o suco da fruta, perdemos fibras e alteramos o índice glicêmico e a carga glicêmica, desta forma, seu consumo diário e antes da hora aumenta o risco de induzir maior resistência do organismo à insulina que é a base do quadro de diabetes tipo 2. 

6 – Bolacha de maizena:

Vejo muitas mães desesperadas para dar bolacha e a de maizena pros seus bebês, afinal, a gengiva coça, não tem recheio e sua mãe te dava quando você era bebê, não é?

Olha só os ingredientes da bolacha de maizena de uma marca famosa

Informações retiradas do site do fabricante

 Tem certeza de que essa bolachinha é mesmo inocente e seu bebê merece consumi-la antes de 1 ano? Na realidade deveria esperar até no mínimo 2 anos.

7 – Engrossantes:

Pós cheios de açúcar e outros ingredientes que antes de 1 ano não deve aparecer na alimentação dos bebês.

Engrossante famoso, que tem vairedade de arroz, milho, aveia e arroz e multicereais

Engrossante à base de maizena

Não se deixem levar pelas vitaminas e minerais nos ingredientes pensem que os bebês precisam aprender a gostar de beber sua fórmula sem serem adocicadas e pra ganhar peso é preciso comer comida de verdade, comida que encontramos na feira.

 

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

8 – Petit Suisse:

 “….inho vale mais que um bifinho” ou “é comida de bebê” são coisas que eu ouvia quando era pequena e muitas mães que entram no consultório ou comentam aqui no blog ainda acreditam afinal elas também comiam, eles são uma delícia, vamos combinar, não é?

Pois é mas são bombas de açúcar, corantes, sódio e ingredientes que bebês não precisam conhecer antes do 1 ano, ou melhor, antes da idade indicada pelos próprios fabricantes para consumo.

Olha só os ingredientes de um petit suisse de uma marca aleatória

Informação retirada no site do fabricante

9 – Geléia de mocotó:

Contém algumas vitaminas, tem carboidratos MAS MUITO AÇÚCAR, corantes e afins, ou seja, não é indicado.

Pode acreditar, seu bebê vai ser forte e saudável comendo apenas frutas, verduras, legumes, carnes até 1 ano.

10 – Frutos do mar:

Camarão, ostra, lagosta, siri, lula e outras iguarias do fundo do mar são vetadas na alimentação dos bebês. Devemos esperar até os 2 anos pra oferecer pros nossos bebês por causa do grande risco de intoxicação e alergia alimentar.

Mas atenção, peixe é liberado já no sexto mês.

11 – Água de Coco:

Um erro recorrente que vejo por aí são mães dando água de coco pra hidratar porque o bebê não aceita água.

Mamães, a aceitação no começo de tudo é normalmente complicada, por isso a paciência e persistência andam juntas. Nada adianta você no desespero dar uma solução equivocada pra sede de seu filho.

Água de coco é um isotônico natural, rico em sódio e potássio que em alta ingestão, sobrecarregam os rins.

Hidratar, matar a sede é função da água, nossa deliciosa e refrescante água potável, filtrada no filtro!

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

12 – Gemada:

Antigamente era receita de pra bebê crescer forte e saudável, mas sabe-se que é super arriscado fazer este tipo de preparação pros nossos bebês.

Ovo cru é terminantemente proibido por causa do grande índice de infecção por conta da Salmonella. A bactéria causa dores de barriga, diarréia e pode levar à morte. Ovo pode e deve ser dado, mas muito bem cozido.

Além claro, da grande quantidade de açúcar que se coloca na gema pra ficar “gostosa”, não é?

Essa fase é muito importante pra se começar a criar os hábitos alimentares de nossos bebês, por isso, esperar a hora certa pra oferecer certos alimentos é fundamental.

Novamente não estou demonizando nenhum alimento específico. Apenas saliento a hora certa de oferecer aos bebês.

Quer variar a alimentação deles? Vá à feira e compre verduras, legumes e frutas variadas. Saia da mesmice da banana, maçã e mamão ou então alface, cenoura e batata! Ofereça fruta do conde, chicória, quiabo!

É nutritivo, saboroso e acreditem, eles vão adorar!

Voltar

OUTRAS POSTAGENS

O QUE É CAD/CAM – TUDO QUE VOCÊ PRECISA ...

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A TECNOLOGIA QUE MUDA A VIDA DOS DENTISTAS!

Muitos profissionais se perguntam o que é o CAD/CAM e como ele pode ajudá-los no tratamento odontológico em pacientes que necessitam de implantes e restaurações. No entanto, para responder a essas duas questões é preciso, primeiro, entender o panorama geral da saúde bucal no Brasil e assim descobrir que o avanço tecnológico pode ser altamente benéfico para os dentistas que estão em busca de maneiras eficazes de realizar tratamentos dentro de suas clínicas ou consultórios.
Mostraremos nesse artigo também quais os benefícios do sistema CAD/CAM e como ele revoluciona o tratamento odontológico e facilita o trabalho dos profissionais da área.

DADOS RECENTES DA SAÚDE BUCAL BRASILEIRA
O Ministério da Saúde em seu último Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal, realizado através do Departamento de Atenção Básica e da Coordenação Nacional de Saúde Bucal e da Secretária de Vigilância à Saúde, revelou que mais de 45% das pessoas entre 65 e 74 anos se enquadram no alto índice de COPD (Dentes Perdidos, Cariados e Obturados). Entre as crianças e os jovens, o maior índice diz respeito às cáries, mais de 23% da população até 19 anos.
Com isso, os profissionais da área da saúde bucal precisam estar constantemente atentos as evoluções tecnológicas que auxiliem no tratamento eficaz dessas e outras centenas de brasileiros que consultam todos os anos seus odontologistas. Afinal, a perda de dentes e até mesmo as cáries podem causar problemas que necessitam de restauração ou colocação de próteses quando não tratados da maneira correta.

AFINAL, O QUE É CAD/CAM?
CAD/CAM é uma sigla em inglês para duas expressões:
CAD – computer-aided design (desenho assistido por computador)
CAM – computer-aided manufacturing (manufatura assistida por computador)
Atualmente essa tecnologia é utilizada em diversos mercados para realizar o desenho e manufatura de moldes de fundição, lâminas estampadas, ferramentas, desenho de calçados, distribuição de plantas e desenhos e fabricação de próteses dentárias.
Resumidamente, para os dentistas, o CAD/CAM é, portanto, a capacidade de realizar o desenho de uma prótese no computador, ao mesmo tempo em que seu aparelho consegue enviar o comando para uma máquina que realizará a manufatura daquele desenho, transformando-o em uma prótese pronta para ser instalada na boca do paciente, em apenas alguns minutos.

COMO FUNCIONA O SISTEMA?
Agora que você já sabe o que é o CAD/CAM, é hora de entender como esse sistema funciona. Antigamente, e ainda presente em 78% dos laboratórios, a técnica consistia em receber os modelos de gesso enviados depois da consulta clínica do paciente e realizar a estratificação, um trabalho manual que nem sempre conseguia criar próteses tão fiéis. Atualmente, 22% dos laboratórios ainda recebem o molde e realizam um escaneamento do objeto, que é enviado como imagem virtual para um software específico.
Atualmente, a tecnologia evoluiu tanto que os profissionais da área realizam a digitalização diretamente em seus pacientes, sem precisar realiza os moldes de gesso que costumam aborrecer quem necessita de tratamento. Vale lembrar que o dentista pode optar por realizar apenas o processo de scanner odontológico (CAD) ou também usar a fresadora (CAM), criando as próteses no próprio laboratório.
Afinal, não é nada agradável ficar alguns minutos com a moldeira na boca, ter dificuldades para respirar ou precisar manter a mesma posição durante todo o tempo. Além disso, a acuracidade também incomoda, já que o mínimo movimento, ou a mistura incorreta dos materiais, pode distorcer o modelo. Isso faz com que muitas pessoas simplesmente desistam de suas próteses e acreditem que ficaram para sempre sem a restauração ou prótese completa de alguns dentes.
Com o sistema CAD/CAM, o dentista evita que o paciente tenha o desagradável gosto do material usado na moldeira e possibilita que até mesmo aquelas pessoas que tinham medo ou receio de ir ao consultório, possam se beneficiar do tratamento odontológico eficaz.
A verdade é que o sistema revolucionou a odontologia e hoje é um dos mais usado por profissionais que entendem a necessidade de mesclar conhecimento prático com técnico ao tratar quem mais precisa de cuidado.

OS BENEFÍCIOS DO CAD/CAM
Quando falamos nos pontos positivos do CAD/CAM é preciso levar em conta um número impressionante. Em pouco mais de 30 anos, mais de 8 milhões de pessoas foram tratadas com o sistema e mais de 20 milhões de próteses e restaurações foram efetuadas com sucesso.
A verdade é que a automatização aperfeiçoou o trabalho do dentista, que pode abandonar a confecção artesanal, eliminar as inúmeras falhas que ocorriam no trabalho, diminuir o desconforto dos pacientes e ainda aumentar a durabilidade das próteses realizadas.
Além disso, com a precisão técnica há também uma diminuição significativa nas chances do paciente quebrar ou perder as próteses ou precisar realizar ajustes as restaurações ou colocação das próteses.
O sistema CAD/CAM aceita também uma variedade imensa de matérias como a zircônia, cerâmica feldspática, dissilicato de lítio, PMMA para provisórios e calcinável, cerâmicas hibridas, metal pré-sinterizado, o que possibilita que os profissionais possam oferecer aos seus pacientes valores que caibam em seu orçamento, ao mesmo tempo em que garantem a durabilidade e a qualidade do que é criado em seu consultório.

COMO O CAD/CAM AJUDA O DENTISTA?
Quando falamos dos benefícios do sistema é preciso levar em conta um aspecto importante, o modo como o dentista passa a focar melhor em seu trabalho. Isso porque a garantia e qualidade do trabalho realizado pelo sistema o ajuda a manter os pacientes sempre satisfeitos, elimina o desperdício e o gasto com material em excesso e ainda consegue potencializar o atendimento, já que em alguns casos apenas. Isso porque o tratamento é mais rápido e efetivo, podendo ser feito, em diversos casos, em uma única sessão, sem prótese provisória.
Sabemos que com o avanço da odontologia digital e a busca cada dia maior por padrões de qualidade superiores, muitos profissionais da área saberão o que é o CAD/CAM e adotarão o sistema, levando aos seus pacientes a chance de realizarem tratamentos mais eficazes, rápidos e com o melhor custo benefício.
Por isso, os dentistas que estão focados em unir tecnologia com um trabalho focado no bem-estar odontológico de seus pacientes deve seguir os padrões de qualidade cada vez mais altos da odontologia e migrar para o sistema CAD/CAM.

DOLPHIN PARA CIRURGIA ORTOGNÁTICA

DOLPHIN

3D Surgery
3D Surgery é uma ferramenta abrangente de planejamento de casos e apresentações que simula alterações esqueléticas e faciais do paciente em tempo real, além de geras guias cirúrgicos com precisão. Tudo que você precisa é um conjunto de dados 3D DICOM, os modelos virtuais e a foto frontal (opcional).
Você pode usar dados de CT de feixe cônico, espiral CT, e de outras fontes. Combine com exames intra-orais ou modelos eletrônicos para precisas cirurgia de modelo virtual. Junto com as outras características maravilhosas do Dolphin e é por isso Dolphin 3D é utilizado em todo o mundo.

Simples de aprender - Fácil de usar
Inicie com uma tomografia Cone Beam ou Helicoidal.
Em seguida, basta seguir o Assistente de Segmentação passo a passo para criar o paciente para a cirurgia virtual adequada.
Se você utiliza uma câmera facial 3D, o Dolphin pode processá-la; se não, Dolphin 3D Surgery pode tirar o máximo partido das suas fotografias clínicas (2D).

Tratamento
Planejamento Cirúrgico de fácil compreensão

Planejamento Cirúrgico de fácil compreensão

O coração do módulo 3D-Surgery do Dolphin é uma ferramenta de planejamento cirúrgico muito poderosa e abrangente chamada Treat.
Você pode planejar a partir de vistas laterais, de frente ou submento-vértice (SMV). Você tem acesso a muitas ferramentas de planejamento clínico e numérico úteis projetadas especificamente por e para cirurgiões, técnicos e pesquisadores.
Use essas ferramentas para produzir workups rápidos; Discussão interativa com outros especialistas; Ou um plano detalhado com guias cirúrgicos para a sala de cirurgia.

Geração de guias customizáveis

Geração de guias customizáveis
A ferramenta de Splint permite que você selecione a largura, espessura e outros parâmetros do guia com base em seus planos de tratamento.

Crie um guia intermediário para posicionar a maxila ou mandíbula com base na sua ordem de operação preferida. E, em seguida, crie um guia final. Todos os arquivos de dados de splint são gerados no formato padrão da indústria .STL, para impressão física no laboratório de sua escolha, ou mesmo em sua própria impressora 3D no escritório.

Geração de guias customizáveis 2


Limpeza e sobreposição

Esculpe e remova qualquer excesso de tecido em volta da maxila e mandíbula, e substitua os dentes gerados em baixa resoluçao de uma tomografia por um modelo dentário escaneado em alta resolução

Limpeza e sobreposição

Apresentação animada dos tratamentos

Apresentação animada dos tratamentos

A ferramenta Present usa o tratamento simulado para planejar em uma seqüência animada de configurações pré / pós-operação em todas as três dimensões.
Isso permite que você estude cuidadosamente nuances de tratamento detalhadas; Demonstre seu plano ao paciente; ou apresentação de caso de conduta para sua equipe cirúrgica.
Setup
Delimite a área geral das estruturas principais: Segmentos proximais, maxila e mandíbula.

Setup

Cortes
Segmente precisamente a maxila e mandíbula.

Cortes

Marcação de Pontos
Marque pontos essenciais, incluindo os existentes em análises cefalométricas.

Marcação de Pontos

Osteotomia
Faça uma osteotomia personalizada para cada caso/paciente.

Osteotomia

Cirurgia Ortognática: Como Funciona? Quais ...

O procedimento cirúrgico visa a fazer uma correção das alterações faciais e dar mais qualidade de vida para os pacientes. “Orto” vem de correto, e “gnatos” significa maxilares. As melhorias vão além da estética: a mordida do paciente também melhora. Confira mais sobre o assunto.
Esse procedimento ajuda a obter o equilíbrio anatômico do rosto.

Como funciona a cirurgia ortognática?
• Ela busca o equilíbrio anatômico da face.
• É indicada quanto o aparelho ortodôntico não consegue reparar um problema.
• Corrige deformidades ocasionadas por anomalias.
• O trabalho tem início com a ortodontia, antes de ser encaminhado para a cirurgia.
• São feitos exames detalhados para avaliar o problema do paciente.
• Pacientes a partir de 17 anos de idade podem realizá-la.

Embora seja desconhecido por muitas pessoas, o procedimento é simples. Toda a cirurgia é realizada na parte interna da boca, o que não apresenta chances de cicatrizes.
Cada caso é um caso, mas, no geral, o paciente pode ter alta no dia seguinte. O pós-operatório é totalmente orientado pela equipe, para que a pessoa se estabeleça o mais rápido possível e sem qualquer prejuízo.
As vantagens da cirurgia são inúmeras. O paciente pode ter uma mastigação melhor e até a sua digestão irá ser beneficiada. Tudo porque a qualidade da mordida nos alimentos influencia na forma como eles são digeridos.
A função respiratória é outra beneficiada pelo procedimento, além da fonação.
Esteticamente falando, um maxilar que é diferente do outro recebe uma correção importante, o que manterá os dois equilibrados.
Nenhum mais proeminente do que o outro. Esse é um resultado que eleva a autoestima do indivíduo.

Quais são os riscos?
A cirurgia apresenta riscos similares a outras de mesmo segmento. Na verdade, é importante que sejam feitos todos os exames necessários antes de considerar o paciente apto para o procedimento.
Como qualquer paciente, esse indivíduo deve buscar informações sobre a equipe que fará a cirurgia e como será o procedimento, além do pós-operatório.
Por não ser uma cirurgia de emergência, há um tempo para que o profissional também se certifique de que é o melhor momento para realizá-la.
Quanto a dor durante o procedimento, não existe. Toda a cirurgia é feita sob o efeito da anestesia geral.
Se você deseja fazer esse tipo de cirurgia de correção, converse com o seu ortodontista ou cirurgião bucomaxilo antes de mais nada sobre essas informações. Ele poderá esclarecer as dúvidas iniciais e te encaminhar para um especialista no assunto.
Você tem algum problema bucal? Não tenha vergonha de procurar por esclarecimentos e contar sobre o seu problema.
A cirurgia tem como objetivo principal recuperar e oferecer qualidade de vida e conforto para os pacientes submetidos a ele.
Esperamos ter ajudado no seu primeiro passo para a recuperação com a cirurgia ortognática. Compartilhe as informações!