Blog

HUGOL possui atendimento especializado em ...

Profissionais especializados em traumas faciais HUGOL.

Dentre os possíveis traumas sofridos pelas vítimas de quedas ou acidentes de trânsito, existem os que ocorrem na face, tratados por uma dasespecialidades atuantes no HUGOL: a Cirurgia Buco-maxilo-facial, com profissionais da Odontologia que têm residência realizada em ambiente hospitalar, em nível de pós-graduação.

Os acidentes motociclísticos estão entre as principais causas de traumas faciais, seja pela falta do capacete ou até mesmo pelo uso de capacetes em desacordo com as normas-padrão. Guttieryque Pereira da Silva, 25 anos, foi paciente do HUGOL por 31 dias, pois sofreu uma queda de sua moto. Devido às lesões na face, recebeu atendimento da equipe de Buco-maxilo-facial da unidade e afirmou ter ficado contente com o tratamento dos profissionais. O alerta, nesse caso, é para utilizar o capacete, porém com atenção crucial na forma de prendê-lo corretamente na cabeça.

De acordo com o supervisor da Cirurgia Buco-maxilo-facial, Dr. Eder de Lima, o hospital tem atendido vários casos de trauma facial grave e a equipe cirúrgica tem obtido êxito nos procedimentos de reconstituição da face. “A Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial (CTBMF), sob a ótica da organização dos serviços hospitalares, tem como um dos seus objetivos o diagnóstico e o tratamento cirúrgico e coadjuvante das doenças de origem traumática do sistema estomatognático e da região buco-maxilo-facial”, explica o supervisor.
Dr. Eder complementa que “a vítima de traumatismo facial pode apresentar lesões ósseas e/ou de tecidos moles que podem afetar funções vitais, ocasionando por vezes quadros hemorrágicos e obstruções das vias aéreas, incorrendo em sérios riscos à vida do paciente”.

O Movimento Maio Amarelo

Movimento Maio Amarelo.

O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.


Acompanhando o sucesso de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, os quais, respectivamente, tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “MAIO AMARELO” estimula você a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata e, até mesmo, às campanhas de conscientização contra o vírus HIV – a mais consolidada nacional e internacionalmente.

Portanto, a escolha proposital do laço amarelo tem como intenção primeira colocar a necessidade da sociedade tratar os acidentes de trânsito como uma verdadeira epidemia e, consequentemente, acionar cada cidadão a adotar comportamento mais seguro e responsável, tendo como premissa a preservação da sua própria vida e a dos demais cidadãos.

Vale ressaltar que o MAIO AMARELO, como o próprio nome traduz, é um movimento, uma ação, não uma campanha; ou seja, cada cidadão, entidade ou empresa pode utilizar o laço do “MAIO AMARELO” em suas ações de conscientização tanto no mês de maio, quanto, na medida do possível, durante o ano inteiro.

A motivação para o Movimento MAIO AMARELO não é novidade para a sociedade. Muito pelo contrário, é respaldada em argumentos de conhecimento público e notório, mas comumente desprezados, sem a devida reflexão sobre o impacto na vida de cada cidadão.

Em conclusão, o MAIO AMARELO quer e espera a participação e envolvimento de todos comprometidos com o bem-estar social, educação e segurança em decorrência de cultura própria e regras de governança corporativa e função social; razão pela qual, convidamos você, sua entidade ou sua empresa a levantar essa bandeira e fazer do mês de maio o início da mudança e fazer do AMARELO, a cor da “atenção pela vida”.

Real Sentido da Páscoa

A Páscoa é um tempo para lembrarmos do amor e da misericórdia de Deus.
A primeira páscoa aconteceu há milhares de anos, quando o povo de Deus estava sendo escravizado no Egito. Deus teve misericórdia e decidiu libertá-los através de Moisés. Mas Faraó não queria deixá-los ir embora, por isso Deus enviou pragas para tentá-lo mudar de ideia. E como Faraó endureceu o coração, Deus decidiu ferir todos os primogênitos do Egito como forma de castigo.


Porém, para o Seu povo (os israelitas), Deus deu uma ordem: Eles deveriam sacrificar um cordeiro para cada família e com isso teriam a proteção. Eles tinham que passar o sangue deste cordeiro na porta de cada casa, para quando o destruidor (a morte) passasse, ele não entrasse na casa que tivesse sido marcada pelo sangue na porta (Leia Êxodo 12:1-14). Daí vem o termo Páscoa (no hebraico: pesah), que significa "pular além da marca", "passar por cima", ou "poupar". Sendo assim, eles foram protegidos da condenação e da morte através do sangue do cordeiro morto.
Da mesma forma, muitos anos depois, Deus enviou o seu Filho Jesus, o Cordeiro Santo para ser morto numa cruz, e o seu sangue aspergido sobre os nossos pecados nos traz salvação, proteção, livramento e vida. A Bíblia diz que Deus sempre amou a humanidade, porém, todos nós O desobedecemos e pecamos, com isso fomos condenados à morte eterna. E como não podemos apagar essa dívida, precisamos de um cordeiro puro, sem pecados, para nos livrar da condenação do inferno.


E Jesus é este cordeiro! Quando João Batista viu Jesus se aproximando dele, ele disse: "Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!" (Jo 1:29). Jesus se fez homem, morreu para nos salvar e ressuscitou. E todo aquele que crê no seu sacrifício e se arrepende, recebe o sangue dEle que nos dá livre acesso ao Pai. Não precisamos mais fazer sacrifícios nem penitências, pois tudo já foi consumado - O preço já foi pago por nós na cruz. Jesus é a verdadeira Páscoa e nada e ninguém pode substituí-lo!


A Páscoa é um tempo para lembrarmos do amor e da misericórdia de Deus. É o momento de buscarmos uma mudança na maneira de pensar, agir e falar. Para isso, precisamos abandonar o pecado, a falta de fé e tudo que nos afasta do Senhor. Devemos crer nas promessas de Jesus: "Eu vim para que vocês tenham vida, e a tenham em abundância" (João 10:10). Nós não podemos nos conformar com as coisas deste mundo, mas sim permitir que sejamos transformados a cada dia pela Palavra de Deus. Jesus foi morto, mas ressuscitou ao terceiro dia, e Ele fez isso para que pudéssemos crucificar a nossa natureza pecaminosa e ressuscitarmos para a vida que Deus tem para nós. Isso nos dará a vida eterna - "Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna" (Gálatas 6:8).

Feliz Páscoa para todos, que este seja um momento de união e celebração em familia.

Jovem que sofria bullying por ter rosto ...

Jovem fara cirurgia

Após quatro anos de luta, a dona de casa Luciene Anselmo de Faria finalmente fará uma cirurgia para reconstruir a face e, com isso, tentar mudar totalmente de vida. A jovem de Peruíbe, no litoral de São Paulo, é alvo de preconceito desde a infância por conta da fisionomia, já que tem grandes problemas na mandíbula e nasceu sem uma das orelhas.

A história de Luciene começou a ser contada pelo G1 em 2013, quando ela procurou ajuda na Faculdade de Ortodontia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) depois de estar cansada de sofrer preconceito e de passar por situações humilhantes desde a infância. Além da parte estética, o problema na mandíbula deixa o seu rosto torto, o que a prejudica no dia a dia já que ela respira apenas pela boca e, às vezes, sente falta de ar.

Equipe especializada

O professor e diretor-científico da Associação dos Dentistas de Santos, Wagner Nascimento, levou o caso de Luciene para os dentistas Almir Lima Jr., Marcelo Quintela e Alessandro Silva, especialista em cirurgia bucomaxilar. Eles descobriram que Luciene tem uma síndrome rara que deu origem a uma "microssomia hemifacial" (malformação e deficiência no crescimento da mandíbula). O diagnóstico foi feito durante exame clínico realizado por dentistas especializados e confirmado pela disciplina de Genética da Faculdade de Medicina da Unimes.

Como ela não tinha condições financeiras de pagar por todos os procedimentos cirúrgicos, os dentistas, que também coordenam a “Corrente Profissional do Bem”, apostaram em um grupo de profissionais de saúde, empresas e laboratórios que oferecem atendimento gratuito para pessoas que não possuem condição financeira para custear os tratamentos. Depois de conseguirem todo o tratamento de forma gratuita, a cirurgia estava prevista para acontecer em 2014, mas teve que ser adiada.
Segundo Silva, os dentistas resolveram mudar a estratégia. A princípio, seriam feitas duas cirurgias, mas ao analisar melhor o caso de Luciene, eles chegaram a conclusão que seria um procedimento muito instável. Além disso, Luciene ficou sem o plano de saúde e também teve problemas pessoais que a impediram de dar seguimento ao tratamento da forma correta.

No ano passado, os dentistas entenderam que ela estaria pronta para realizar apenas uma cirurgia, bem complexa e trabalhosa, mas que iria resolver os problemas de forma mais segura. A jovem está usando, há dois anos, o aparelho ortodôntico que a prepara para a cirurgia. O aparelho é moderno e sofisticado, pago pelo próprio curso de Especialização no qual ela é atendida.

A cirurgia foi, finalmente, marcada para a próxima sexta-feira (7), no Hospital Vitória. Os brasileiros trouxeram o dentista americano David Poor, professor da Universidade do Pacífico, que é conhecido internacionalmente pela experiência nesses casos de cirurgia buco-maxilo-facial. Ele irá revezar-se com a equipe brasileira no centro cirúrgico, já que o procedimento deve durar cerca de seis horas. A cirurgia de Luciene será filmada e transmitida, às 8h30, durante a II Jornada Ortocirúrgica da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

Durante a cirurgia uma prótese de mandíbula vai reconstruir as partes ósseas que a paciente não tem, suas articulações serão refeitas, e o maxilar superior também será reposicionado para que os dentes se encaixem perfeitamente em novas posições.
“Vamos substituir a articulação que ela não têm por uma de titânio. A gente faz toda a correção de toda a deformidade que ela tem. É trabalhoso. O dentista americano tem bastante experiência. É uma cirurgia a quatro mãos, dois dentistas e dois assistentes”, comenta Silva.

Após o procedimento, ela continuará recebendo um acompanhamento dos dentistas e terá orientação médica e também de nutricionistas. Após três meses, Luciene deve voltar a ter uma vida normal. Porém, os dentistas envolvidos esperam mais que isso, que ela possa viver de uma forma muito melhor.

“O objetivo é alcançar a plenitude, que é a simetria facial, de função e estética facial. A função que ela vai ter é mastigatória e respiratória, ter uma boa mordida, adequada e uma melhor digestão dos alimentos. E, também a estética. O que eu vou fazer é só mostrar o que está escondido nela”, falou.

Novembro Azul - Mês de conscientização do ...


O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. O diagnóstico precoce pode aumentar em 90% as chances de cura.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. E é de olho naqueles que não se cuidam que a campanha Novembro Azul foi criada. O objetivo é levar informação e reduzir os números de mortes por causa da doença. 

A doença é silenciosa e quando apresenta algum sintoma, pode ser tarde demais. O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata homens na Paraíba, perdendo apenas para o de pulmão.

A sorte é que é possível prevenir. Um simples exame de sangue conhecido como PSA pode ser a salvação. Os médicos recomendam que o primeiro PSA seja feito aos 50 anos, para a maioria dos homens, e aos 45 para aqueles que têm histórico de câncer na família.

Conscientize-se, faça o exame!

Alprazolam (Frontal™), Clonazepam ...



O álcool, devido ao modo como age no Sistema Nervoso Central (o Cérebro forma uma parte desse sistema), possui o potencial de desencadear e/ou de agravar diversas manifestações de transtornos psiquiátricos. Pode agravar (e também iniciar) um quadro de Depressão, pode desestabilizar o tratamento do Transtorno Bipolar, ou seja, o indivíduo, mesmo tomando medicações, pode apresentar surtos maníacos e/ou depressivos desencadeados pelo álcool. O álcool também pode piorar o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), a Esquizofrenia, Transtornos Ansiosos, Fobias, dentre outras enfermidades psiquiátricas.

É um mito a afirmação de que beber um pouquinho de álcool todos os dias faz algum bem a saúde. Quando exercia minhas atividades médicas na Europa, recebíamos (eu e outros colegas médicos), publicações científicas que nos eram distribuídas a fim de que trabalhássemos em prol do esclarecimento das pessoas sobre esse fato. Hoje, há como se demonstrar, minuciosamente, que o álcool ingerido todos os dias, mesmo em pequenas quantidades, faz mal à saúde, principalmente pelo alto teor de álcool que as bebidas de hoje contêm, dentre elas, os vinhos.

Ainda sobre o Álcool. Nosso organismo produz um hormônio chamado de vasopressina, ou Hormônio Antidiurético. E o álcool inibe (diminui) esse hormônio. Logo, todas as vezes que se ingere álcool, a pessoa urina mais. Grande parte dos medicamentos são eliminados (progressivamente) pela urina, logo, se a diurese estiver aumentada pelo efeito do álcool, o medicamento que a pessoa estiver tomando vai embora muito mais rapidamente do que o normal, diminuindo, assim, os efeitos esperados dos medicamentos.

Benzodiazepínicos e Álcool

Os Benzodiazepínicos são medicamentos que atuam no Sistema Nervoso Central, e podem ser usados no tratamento de diversos transtornos psiquiátricos. Podem ser prescritos pelo médico psiquiatra tendo em vista suas ações ansiolíticas (tranquilizantes), anticonvulsivantes (coadjuvantes no tratamento da Epilepsia) e relaxante muscular, além de seu conhecido papel no tratamento da insônia (alguns deles). Dentre os Benzodiazepínicos mais conhecidos estão o Diazepam (Vallium™), o Bromazepam (Lexotan™), o Clonazepam (Rivotril™), o Alprazolam (Frontal™), Cloxazolam (Olcadil™) e o Lorazepam (Lorax™), dentre outros.

Os Benzodiazepínicos possuem um efeito depressor no Sistema Nervoso Central, e é por este seu efeito que são utilizados (nas doses corretas prescritas pelo médico) no tratamento de quadros de ansiedade e de insônias, por exemplo, pois exercem uma função de diminuição da excitação psíquica da pessoa ansiosa, ajudam no alívio de sintomas de angústia e são uma excelente opção de tratamento para a Síndrome do Pânico. Todavia, estamos aqui falando de modo ultra-simplificado, e desencorajo, completamente, toda a tentativa de autodiagnóstico e de automedicação. Estas informações visam o esclarecimento das pessoas que me escrevem, e cujas perguntas colaboram para que outros também se beneficiem.

O Álcool também deprime e afeta diversas funções no Sistema Nervoso Central, como, por exemplo: a atenção, a memória, a coordenação motora, os reflexos, dentre outras. Portanto, se você utiliza uma medicação da categoria dos Benzodiazepínicos (depressor do Sistema Nervoso Central) mais uma outra substância (o álcool) que também deprime o sistema nervoso central, você tem uma potencialização (aumento) desses efeitos. De modo muito simplificado, quando uma pessoa toma um comprimido de Alprazolam (Frontal™), ou de Clonazepam (Rivotril™), por exemplo, e bebe “uma cervejinha”, pode acontecer que o efeito do medicamento seja intensificado pelo álcool e a pessoa pareça ter tomado três comprimidos do Alprazolam. O mesmo para outros Benzodiazepinicos, como o Clonazepam ou o Bromazepam, para citar apenas estes. E, dependendo da quantidade da “cervejinha”, quando esta é usada quando a pessoa está tomando algum Benzodiazepínico, pode parecer que a pessoa tomou, por exemplo, umas cinco cervejas, pois o efeito depressor do álcool, como já dito, se soma ao efeito depressor do benzodiazepínico.

Finalizando, se alguém necessita de um Benzodiazepínico para seu tratamento, não é recomendável o uso de álcool. Mas se mesmo assim, a pessoa não deseja abandonar a sua “cervejinha”, existem diversas opções para a abordagem desta situação, de acordo com cada caso, o que só pode ser avaliado com a presença do paciente, pois há diversos fatores a serem considerados e muito bem avaliados nessas situações de excepcionalidade.

De qualquer modo, repito: Usar Álcool e Benzodiazepínicos não é aconselhável.

Dr. Eduardo Adnet

Negativa de cobertura de cirurgia ...


A cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial é uma especialidade da área de odontologia que trata cirurgicamente as doenças da cavidade bucal, face e pescoço, tais como deformidades faciais, traumatismos, anormalidades do crescimento craniofacial, tumores, traumas e deformidades dos maxilares e da mandíbula.

A discussão sobre a natureza das cirurgias bucomaxilofaciais é antiga.

Os planos de saúde sustentavam que as cirurgias tinham natureza odontológica ou estética, portanto, negavam a cobertura do tratamento, sob a alegação de exclusão expressa no contrato firmado entre as partes.

Ocorre que, na maioria das vezes, a cirurgia bucomaxilofacial tem natureza reparadora funcional, na medida em que visa corrigir deficiências respiratórias, mastigatórias e de fala, além de amenizar as dores de cabeça intermitentes.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), então, determinou que as operadoras de planos privados de assistência à saúde devem cobrir as cirurgias bucomaxilofaciais, inclusive, os exames laboratoriais e complementares, bem como os procedimentos abrangidos pelas internações hospitalares, nos termos da súmula normativa 11 da ANS, de 20 de agosto de 2007, item 1:

"1. A solicitação dos exames laboratoriais/complementares previstos no art. 12, inciso I, alínea b, da Lei n° 9.656, de 1998, e dos procedimentos abrangidos pelas internações hospitalares, de natureza buco-maxilo-facial ou por imperativo clínico, dispostos no art. 12, inciso II, da mesma lei, e no art. 7º, parágrafo único da Resolução CONSU n° 10, de 1998, devem ser cobertos pelas operadoras de planos privados de assistência à saúde, mesmo quando promovidos pelo cirurgião-dentista assistente, habilitado pelos respectivos conselhos de classe, desde que restritos à finalidade de natureza odontológica;"

Ainda que o cirurgião não pertença à rede própria, credenciada ou referenciada dos planos de saúde, obrigatória a cobertura do procedimento cirúrgico, desde que os honorários do profissional solicitante sejam quitados pelo paciente, item 2:

"2. A solicitação das internações hospitalares e dos exames laboratoriais/complementares, requisitados pelo cirurgião-dentista, devidamente registrado nos respectivos conselhos de classe, devem ser cobertos pelas operadoras, sendo vedado negar autorização para realização de procedimento, exclusivamente, em razão do profissional solicitante não pertencer à rede própria, credenciada ou referenciada da operadora;"

Além disso, os procedimentos bucomaxilofaciais decorrentes de situações clínicas e cirúrgicas de interesse comum da área médica e odontológica deverão ser autorizados, mesmo que solicitados por cirurgiões-dentistas, conforme previsto no item 3 da mencionada súmula:

"3. A solicitação de internação, com base no art. 12, inciso II da Lei n° 9.656, de 1998, decorrente de situações clínicas e cirúrgicas de interesse comum à medicina e à odontologia deve ser autorizada mesmo quando solicitada pelo cirurgião-dentista, desde que a equipe cirúrgica seja chefiada por médico."

Consequentemente, as cirurgias bucomaxilofaciais, tais como osteotomias dos maxilares ou malares, sinusectomia maxilar Caldwell – Luc, osteoplastia para prognatismo, micrognatismo ou laterognatismo, tratamento cirúrgico – fístula oroantral ou oronasal, hemimandibulectomia com ou sem enxerto ósseo com ou sem colocação de prótese, passaram a constar no rol de cobertura obrigatória para os beneficiários dos planos de saúde, inclusive a solicitação de exames complementares e o fornecimento de medicamentos, anestésicos, gases medicinais, transfusões, assistência de enfermagem, alimentação, órteses, próteses e demais materiais ligados ao ato cirúrgico utilizados durante o período de internação hospitalar.

Porém, os convênios médicos passaram a discutir a necessidade do procedimento cirúrgico, bem como a pertinência dos materiais indicados.

Com base na resolução normativa 338, editada pela ANS, as operadoras suscitam a composição de uma Junta médica.

Importante ressaltar que referida resolução restringe a composição da Junta médica apenas para casos de evidente divergência clínica, porém, não é o que ocorre na prática.

Com o intuito de protelar a autorização e liberação dos materiais inerentes ao procedimento cirúrgico, os convênios não demonstram a divergência clínica e extrapolam o prazo máximo de atendimento estabelecido pela ANS para atendimento em regime de internação eletiva dos beneficiários dos planos de saúde, qual seja, 21 dias úteis.

No entanto, o entendimento do Judiciário é pacifico no sentido de que não compete ao plano de saúde estabelecer qual o procedimento a ser realizado, pois tal conduta é pertinente somente ao profissional solicitante, conforme decisão da 3ª turma do STJ, no REsp 668.216-SP:

"Se o plano está destinado a cobrir despesas relativas ao tratamento, o que o contrato pode dispor é sobre as patologias cobertas, não sobre o tipo de tratamento para cada patologia alcançada pelo contrato. Na verdade, se não fosse assim, estar-se-ia autorizando que a empresa se substituísse aos médicos na escolha da terapia adequada de acordo com o plano de cobertura do paciente. E isso, pelo menos na minha avaliação, é incongruente com o sistema de assistência à saúde, porquanto quem é o senhor do tratamento é o especialista, ou seja, o médico que não pode ser impedido de escolher a alternativa que melhor convém à cura do paciente." (Rel. Min. Carlos Alberto Menezes Direito, j. 15/03/07, p. 02/04/07).

Nesse sentido, destaca a ilustre ministra Nancy Andrighi, em recente decisão proferida no REsp 1.053.810/SP:

"Ao prosseguir nesse raciocínio, conclui-se que somente ao médico que acompanha o caso é dado estabelecer qual o tratamento adequado para alcançar a cura ou amenizar os efeitos da enfermidade que acometeu o paciente. A seguradora não está habilitada, tampouco autorizada a limitar as alternativas possíveis para o restabelecimento da saúde do segurado, sob pena de colocar em risco a vida do consumidor. Ora, a empresa não pode substituir-se aos médicos na opção terapêutica se a patologia está prevista no contrato."

No que se refere à discussão dos materiais especiais indicados pelo cirurgião dentista, a resolução normativa 338 da ANS, em seu art. 21, VIII, § 1º, inciso I, prevê que cabe ao médico ou cirurgião dentista assistente a prerrogativa de determinar as características (tipo, matéria-prima e dimensões) das órteses, próteses e materiais especiais - OPME necessários à execução dos procedimentos.

Nesse sentido, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro editou a súmula 211:

"Havendo divergência entre o seguro saúde contratado e o profissional responsável pelo procedimento cirúrgico, quanto à técnica e ao material a serem empregados, a escolha cabe ao médico incumbido de sua realização." (REFERÊNCIA: Processo Administrativo nº 0013657-24.2011.8.19.0000 - Julgamento em 22/11//2010 – Rel. Desembargadora Leila Mariano. Votação unânime)

Assim, patente a obrigatoriedade de cobertura pelas operadoras e seguradoras de saúde, das cirurgias e traumatologia bucomaxilofacial, incluindo todos os materiais inerentes ao procedimento, conforme prescrição do cirurgião dentista.

Por fim, destaca-se que o direito aos referidos procedimentos cirúrgicos, na maioria das vezes, são obtidos por intermédio do Poder Judiciário, que possui entendimento favorável ao consumidor.

A importância do uso regular do fio dental



Dizem que o sorriso bonito é o melhor e mais eficiente dos cartões de visita, já que chama atenção pela beleza e mostra o lado higiênico de cada pessoa.

Para conquistar um sorriso saudável é necessário mais do que uma boa escovação, já que sozinha, a escova não consegue remover os pequenos resíduos que se alojam entre os dentes e na linha da gengiva.

O uso do fio dental é essencial por pelo menos uma vez ao dia, e de preferência antes da escovação, já que uma parte dos resíduos sai no fio e a outra se espalha no dente em regiões onde a escova alcança.

O uso do fio dental impede a formação de placas bacterianas, que provocam gengivite que, quando não tratada, pode destruir o osso que estrutura o dente. Além dos problemas como as cáries e o tártaro, o uso rotineiro do fio dental evita o mau hálito, oriundo da decomposição de restos de alimentos acumulados.

Quem não tem o hábito de usar o fio dental pode ser surpreendido com pequenos sangramentos ao utiliza-lo esporadicamente. Os motivos disso são diversos, podendo ser desde o excesso de força ao passar até problemas mais graves como os gengivais, os quais dependendo do estágio de evolução, podem ser tratados simplesmente pela adoção do uso do fio dental rotineiramente. Contudo, caso os sangramentos persistam, um dentista deverá ser consultado para identificar e resolver problema.

O Movimento MAIO AMARELO nasce com uma só ...






segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, os quais, respectivamente, tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “MAIO AMARELO” estimula você a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata e, até mesmo, às campanhas de conscientização contra o vírus HIV – a mais consolidada nacional e internacionalmente.

Portanto, a escolha proposital do laço amarelo tem como intenção primeira colocar a necessidade da sociedade tratar os acidentes de trânsito como uma verdadeira epidemia e, consequentemente, acionar cada cidadão a adotar comportamento mais seguro e responsável, tendo como premissa a preservação da sua própria vida e a dos demais cidadãos.

Vale ressaltar que o MAIO AMARELO, como o próprio nome traduz, é um movimento, uma ação, não uma campanha; ou seja, cada cidadão, entidade ou empresa pode utilizar o laço do “MAIO AMARELO” em suas ações de conscientização tanto no mês de maio, quanto, na medida do possível, durante o ano inteiro.

A motivação para o Movimento MAIO AMARELO não é novidade para a sociedade. Muito pelo contrário, é respaldada em argumentos de conhecimento público e notório, mas comumente desprezados, sem a devida reflexão sobre o impacto na vida de cada cidadão.

Em conclusão, o MAIO AMARELO quer e espera a participação e envolvimento de todos comprometidos com o bem-estar social, educação e segurança em decorrência de cultura própria e regras de governança corporativa e função social; razão pela qual, convidamos você, sua entidade ou sua empresa a levantar essa bandeira e fazer do mês de maio o início da mudança e fazer do AMARELO, a cor da “atenção pela vida”.

SOBRE A DÉCADA DE AÇÃO PARA A SEGURANÇA NO TRÂNSITO

A Assembleia-Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno
Bruto) de cada país.

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

O problema é mais grave nos países de média e baixa rendas. A OMS estima que 90% das mortes acontecem em países em desenvolvimento, entre os quais se inclui o Brasil. Ao mesmo tempo, esse grupo possui menos da metade dos veículos do planeta (48%), o que demonstra que é muito mais arriscado dirigir um veículo — especialmente uma motocicleta — nesses lugares.

As previsões da OMS indicam que a situação se agravará mais justamente nesses países, por conta do aumento da frota, da falta de planejamento e do baixo investimento na segurança das vias públicas.

De acordo com o Relatório Global de Segurança no Trânsito 2013, publicado pela OMS recentemente, 88 países membros conseguiram reduzir o número de vítimas fatais. Por outro lado, esse número cresceu em 87 países.

A chave para a redução da mortalidade, segundo o relatório, é garantir que os estados-membros adotem leis que cubram os cinco principais fatores de risco: dirigir sob o efeito de álcool, o excesso de velocidade, não uso do capacete, do cinto de segurança e das cadeirinhas. Apenas 28 países, que abrigam 7% da população mundial, possuem leis abrangentes nesses cinco fatores.

Marca-passo sob a mandíbula é nova ...


Quem sofre de apneia do sono pode ter, em breve, uma nova alternativa para tratar o problema no Brasil: o implante de um “marca-passo” sob a mandíbula que, por meio de pequenos choques elétricos, impede a musculatura da língua e da faringe de relaxar e consequentemente obstruir a passagem de ar.

A apneia obstrutiva do sono – caracterizada por interrupções de pelo menos 10 segundos no fluxo de ar durante a noite – pode aumentar o risco de vários problemas de saúde, como hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC) e infarto. O paciente também pode ter sonolência excessiva durante o dia, cansaço e dor de cabeça.

O tratamento de eletroestimulação seria uma alternativa às duas principais técnicas contra a doença utilizadas hoje. Uma delas é o CPAP, sigla em inglês para pressão positiva contínua do ar, em que o paciente usa uma máscara conectada a um aparelho que “empurra” o ar para as vias respiratórias. A outra é a cirurgia para correção de características anatômicas do aparelho respiratório que possam estar levando às obstruções no fluxo de ar.

O procedimento cirúrgico para implante do "marca-passo" contra apneia já foi feito com sucesso uma vez no Brasil, pelo Hospital Samaritano, em São Paulo. O paciente obteve uma autorização especial da Anvisa para receber o equipamento por uso compassivo, concedido nos casos em que o produto ainda não obteve registro na agência, mas já foi aprovado em outros países e se mostra promissor para o tratamento de determinada doença.



Como funciona?

O médico Eric Thuler, que coordenou o primeiro implante do marca-passo no Brasil, afirma que, nos últimos anos, estudos têm demonstrado que a causa mais comum de apneia é o relaxamento da musculatura da língua e da faringe durante o sono. A ocorrência de anormalidades anatômicas do aparelho respiratório que justificariam a parada de respiração no meio da noite é menos frequente.

A ideia do equipamento é justamente impedir esse relaxamento ao aplicar pequenos choques elétricos, de intensidade muito baixa, de forma que os músculos da língua e faringe permaneçam como se a pessoa estivesse acordada.O dispositivo é implantado perto do nervo hipoglosso, que inerva os músculos da língua e da faringe e fica sob a mandíbula. “São choquinhos de miliamperes, imperceptíveis ao paciente, que conseguem simular uma situação similar a quando o paciente está acordado”, diz o especialista.

O implante é feito por uma cirurgia simples, que dura cerca de 40 minutos, e o equipamento é ligado um mês depois do procedimento. Com um controle remoto, o paciente liga o "marca-passo" somente quando vai dormir. "Nas primeiras semanas, o paciente refere que sente como e estivesse com um formigamento na região. Depois, se torna imperceptível."

Quem poderia ser beneficiado?

Caso a técnica seja aprovada no Brasil, ela deve ser usada em pessoas que já tentaram outros tratamentos, mas não se adaptaram.

Segundo Thuler, a primeira opção para tratar a apneia continua sendo o CPAP, que é a técnica menos invasiva. Estudos mostram, porém, que cerca de 40% dos pacientes não conseguem se adaptar ao equipamento. Nesses casos, exames específicos devem revelar se o paciente possui alguma obstrução mecânica ao fluxo de ar que possa ser corrigida com cirurgia.

Se isso não for identificado e a causa da apneia for o relaxamento muscular da língua e da faringe, aí sim o tratamento de eletroestimulação seria indicado.

Paciente brasileiro

A primeira pessoa a se submeter ao tratamento de eletroestimulação para apneia no Brasil foi o médico oftalmologista Murilo Valladares Domingues, de 48 anos. Ele descobriu a doença há cerca de um ano, depois de fazer um exame para descobrir a causa de seus roncos. Domingues considerou o uso do CPAP desconfortável e soube que existia uma alternativa fora do Brasil. Depois de obter o aval da Anvisa, ele passou pela cirurgia do implante em julho.

“Foi mais para prevenir. Se não tratar, posso ter diabetes, pressão alta, AVC”, diz. Ele conta que os choquinhos não provocam dor e que ele tem precisado de menos horas de sono desde que ativou o dispositivo.

O brasileiro Marcelo Lima, presidente da empresa ImThera, com sede nos Estados Unidos, conta que cerca de 100 pacientes já receberam o implante no mundo. O equipamento já foi aprovado na Europa, onde já está sendo comercializado, e aguarda autorização nos Estados Unidos pelo FDA (Food and Drug Administration) e no Brasil pela Anvisa.

Lima esclarece que o objetivo do dispositivo é tratar a apneia e que ele só terá o efeito de inibir o ronco caso ele tenha como causa a obstrução das vias aéreas durante o sono.

Fonte: G1

10 doenças que podem dar os primeiros ...




Anemia, leucemia e até mesmo sífilis são condições que podem dar indicativos na região bucal; lesões devem sempre ser analisadas por um profissional
Examinar a língua, os lábios e a gengiva periodicamente é tão importante quanto prestar atenção em qualquer outra parte do corpo. Algumas doenças graves podem se manifestar dando sinais na região bucal. Ao primeiro indicativo de algo errado, é preciso procurar um dentista que fará uma avaliação e, se necessário, encaminhará para um estomatologista, médico especialista que cuida de doenças bucais.
A doutora em ciências da saúde e mestre em estomatologia Ana Paula Ribeiro Braosi diz que muitas doenças se manifestam primeiramente na boca. Entre elas, estão problemas que vão desde câncer a doenças autoimunes. Veja abaixo relação de doenças que começam pela boca:

Doenças autoimunes
O lúpus eritematoso sistêmico e o eritema multiforme podem se manifestar pela boca. “Podem aparecer lesões ulcerativas na boca, feridas abertas que doem e incomodam”, explica Ana Paula sobre o lúpus.
A estomatologista membro da Sociedade Brasileira de Estomatologia e Patologia Oral Cíntia Maria Remondes explica que, geralmente, a doença se manifesta na mucosa bucal de forma assemelhada aos sinais corporais.
Sífilis
Cíntia explica que a sífilis pode causar lesões granulomatosas na cavidade oral. “Forma um pequeno tumor e, no centro desse tumor, há uma ferida aberta que muitas vezes demora para cicatrizar. É o primeiro sinal que a sífilis dá”, explica a estomatologista.

Anemia
“Quando há um despapilamento da língua, ela fica ‘careca’, com aspecto liso, brilhante e muitas vezes com secura. Isso pode significar que a pessoa está anêmica”, diz Ana Paula.

Leucemia
Esse tipo de câncer sanguíneo também dá sinais na boca. “A leucemia se manifesta por lesões ulcerativas e por áreas necrosadas. Muitas vezes, há o aumento da gengiva e um sangramento espontâneo, que não existia anteriormente”, diz Ana Paula.

Sapinho (candidíase pseudomembranosa)
“O sapinho pode formar pseudomembranas”, diz Ana Paula. Essas membranas são esbranquiçadas e ficam aderidas na mucosa bucal. O aspecto pode se assemelhar a pequenas feridas.
HPV
“Muitas vezes, o mesmo subtipo do HPV que causa câncer no colo do útero pode se manifestar na boca”, diz Ana Paula. “Aparecem pequenas verrugas – ou apenas uma. O quadro pode evoluir para um câncer”, alerta.

Pericardite
Cíntia Maria explica que as bactérias que ficam na boca podem até mesmo causar uma infecção no coração. “Por causa de gengivite, doenças gengivais avançadas ou de um canal não realizado essas bactérias da boca podem cair na corrente sanguínea e se alojar em tecidos cardíacos, causando uma infecção”, alerta a estomatologista.
“Isso pode até levar à morte, quando não se toma antibiótico de forma adequada ou quando a pessoa já tem algum problema cardíaco prévio”, diz. No entanto, é um mal possível de prevenir: a visita periódica ao dentista consegue identificar problemas gengivais, corrigir a higiene bucal e evitar que o pior aconteça.
Refluxo gastroesofágico
Além da falta de escovação dos dentes, da língua e da presença de cáries, o mau hálito pode indicar que a pessoa está com refluxo gastroesofágico. “O conteúdo do estômago acaba subindo e pode causar mau hálito”, diz Ana Paula. Portanto, atenção a esse sinal.

Câncer de boca
Esse tipo de malignidade pode acontecer na boca. “Normalmente, o sinal é quando uma ferida não cicatriza em até 15 dias”, diz Cíntia Maria. “Pode se assemelhar com uma afta, mas geralmente é indolor”. Segundo a estomatologista, é preciso procurar um dentista e fazer uma biópsia para ver se é câncer.
“O câncer de boca pode ser um tumor primário ou secundário. O primário nasce na boca, já o secundário é reflexo de outro tumor no corpo do paciente”, diz a especialista. “Não dá para dizer de onde o câncer veio, é uma gama enorme de possibilidades”.
Câncer infantil
Rhoner Gonçalves alerta para um tipo de câncer infantil que se manifesta na boca, o linfoma de Burkitt. “Esse tumor maligno cresce muito rápido, chega a dobrar de tamanho a cada semana e pode impedir que a criança feche a boca”, alerta o estomatologista. “Normalmente, ele se manifesta na região da gengiva, no fundo da boca, na parte de baixo”.

Artigo fornecido pela Colgate-Palmolive. Copyright 2016 Colgate-Palmolive.
Todos os direitos reservados.

Doze alimentos que bebê não deve comer ...



Criança nasceu, ficou 6 meses no aleitamento materno (se possível) começou a introdução alimentar e as dúvidas do que pode ou não pode começa a gritar dentro da cabeça da mãe. É orientação do pediatra, é informação na internet além de todos os palpites e pitacos, afinal nasce uma mãe, nasce uma rede de pitaqueiros de plantão ao seu lado. O grande problema é que muita coisa mudou e não é mais como na época da sua mãe. Isso mesmo, o que era indicado, dito ser saudável quando você era bebê, não é mais e por mais que você esteja vivo, com uma saúde dita de ferro, estudos existem, foram feitos e perceberam que se não mudarmos nossa cabeça, nossos hábitos alimentares e começarmos desde o início a cuidar da alimentação de nossos filhos, eles serão vítimas de doenças provenientes de excesso de açúcar sódio, gordura e tudo mais que não faz bem e está presente em diversos alimentos de forma intrinseca. Pra ajudá-las, vamos com mais uma listinha básica, fácil de entender com 12 alimentos que bebê não deve comer antes de 1 ano.

1 – Leite de vaca e derivados:

Leite de vaca, derivados (manteiga, requeijão, iogurte, coalhada, queijo) e qualquer alimento que tenha leite de vaca em seus ingredientes não são indicados antes dos 12 meses.

Ah! Pão de queijo como o próprio nome diz: “de queijo” também não pode ;).

A única “exceção” é no caso de bebês que por algum motivo precisam tomar fórmulas alimentares, pois estas contêm traços de leite em sua composição, mas mesmo assim, esses bebês devem esperar completar 1 ano para consumir leite e derivados de fato.

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

2 – Sal:

Bebês não sabem o que é comida com sal, o que é comida com açúcar. Desta forma, tem necessidade nenhuma de acrescentar sal nas papas principais.

Comida de bebê tem que ser saborosa, mas sem o sal adicionado. Basta ser criativa e usar nossos temperos naturais (cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, manjericão, coentro, sálvia, estragão entre outros).

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

3 – Açúcar e tudo que tem açúcar:

Como falei no item anterior, bebê não sabe o que é açúcar até você oferecer. Segundo recomendação da SBP, açúcar deve ser introduzido aos 2 anos de idade e sempre com moderação. Ou seja, até 1 ano NÃO deve ter açúcar na dieta do bebê. Nem na Páscoa com ovos de chocolate, nem em aniversários de amiguinhos, nem porque vão falar: – tadinho, ele vai ficar com lombriga.

Não! Eles não vão ficar com lombriga porque eles não sabem o que é açúcar.

Sim, eles olham tudo o que nós fazemos, mas por curiosidade e não por desejo de comer.

Açúcar engloba tudo e qualquer coisa que tenha açúcar: bolacha de maizena, bolacha maria, petit suisse, açúcar na fruta, açúcar na fórmula, engrossantes, achocolatados, bolos, doces em geral, papinhas industrializadas que contém açúcar, smothies de frutas adoçados, gelatina (qualquer gelatina, mesmo a orgânica) e tudo que tem açúcar (vale a pena repetir).

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

4 – Mel:

É uma delícia, mas não pode ser consumido até 1 ano.

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que crianças com menos de um ano de idade não consumam mel. O objetivo da orientação é prevenir a ingestão de esporos da bactéria Clostridium botulinum, bacilo responsável pela transmissão do botulismo intestinal. Não existem restrições ao consumo de mel por crianças com mais de um ano de idade e adultos sem problemas de saúde relacionados à flora intestinal.

O botulismo é uma doença neuroparalítica grave, não contagiosa, resultante da ação de uma potente toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Quando provocada pela ingestão de alimentos contaminados, é considerada doença transmitida por alimento. Nas amostras de alimentos é comum encontrar formas esporuladas do Clostridium botulinum, em especial no mel.

O botulismo intestinal é um modo de transmissão do botulismo e ocorre com maior freqüência em crianças com idade entre 3 e 26 semanas. Está associado à ingestão de esporos da bactéria presentes em alimento contaminado. Fonte: Anvisa

De acordo com a Portaria 5/2006, da Secretária de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, o botulismo é doença de notificação compulsória. As suspeitas de casos exigem notificação à vigilância epidemiológica local e investigação imediata.

5 – Sucos e chás:

Nove entre dez pediatras falam para começar a introdução alimentar com o suco de laranja lima. Mas essa informação já é errada e tem explicação bem plausível para exclusão do “inocente” suco de fruta da introdução alimentar.

Quando iniciamos a introdução alimentar, iniciamos algo maior do que fazer os bebês comer, começamos o processo de criar hábitos e eles devem ser os mais corretos possíveis. Várias crianças atualmente não comem frutas, não conhecem os diversos tipos de frutas que temos em nosso País e só tomam suco de um ou outro sabor.

Além do fator criar o hábito de comer a fruta, temos os motivos mais científicos: Quando fazemos o suco da fruta, perdemos fibras e alteramos o índice glicêmico e a carga glicêmica, desta forma, seu consumo diário e antes da hora aumenta o risco de induzir maior resistência do organismo à insulina que é a base do quadro de diabetes tipo 2. 

6 – Bolacha de maizena:

Vejo muitas mães desesperadas para dar bolacha e a de maizena pros seus bebês, afinal, a gengiva coça, não tem recheio e sua mãe te dava quando você era bebê, não é?

Olha só os ingredientes da bolacha de maizena de uma marca famosa

Informações retiradas do site do fabricante

 Tem certeza de que essa bolachinha é mesmo inocente e seu bebê merece consumi-la antes de 1 ano? Na realidade deveria esperar até no mínimo 2 anos.

7 – Engrossantes:

Pós cheios de açúcar e outros ingredientes que antes de 1 ano não deve aparecer na alimentação dos bebês.

Engrossante famoso, que tem vairedade de arroz, milho, aveia e arroz e multicereais

Engrossante à base de maizena

Não se deixem levar pelas vitaminas e minerais nos ingredientes pensem que os bebês precisam aprender a gostar de beber sua fórmula sem serem adocicadas e pra ganhar peso é preciso comer comida de verdade, comida que encontramos na feira.

 

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

8 – Petit Suisse:

 “….inho vale mais que um bifinho” ou “é comida de bebê” são coisas que eu ouvia quando era pequena e muitas mães que entram no consultório ou comentam aqui no blog ainda acreditam afinal elas também comiam, eles são uma delícia, vamos combinar, não é?

Pois é mas são bombas de açúcar, corantes, sódio e ingredientes que bebês não precisam conhecer antes do 1 ano, ou melhor, antes da idade indicada pelos próprios fabricantes para consumo.

Olha só os ingredientes de um petit suisse de uma marca aleatória

Informação retirada no site do fabricante

9 – Geléia de mocotó:

Contém algumas vitaminas, tem carboidratos MAS MUITO AÇÚCAR, corantes e afins, ou seja, não é indicado.

Pode acreditar, seu bebê vai ser forte e saudável comendo apenas frutas, verduras, legumes, carnes até 1 ano.

10 – Frutos do mar:

Camarão, ostra, lagosta, siri, lula e outras iguarias do fundo do mar são vetadas na alimentação dos bebês. Devemos esperar até os 2 anos pra oferecer pros nossos bebês por causa do grande risco de intoxicação e alergia alimentar.

Mas atenção, peixe é liberado já no sexto mês.

11 – Água de Coco:

Um erro recorrente que vejo por aí são mães dando água de coco pra hidratar porque o bebê não aceita água.

Mamães, a aceitação no começo de tudo é normalmente complicada, por isso a paciência e persistência andam juntas. Nada adianta você no desespero dar uma solução equivocada pra sede de seu filho.

Água de coco é um isotônico natural, rico em sódio e potássio que em alta ingestão, sobrecarregam os rins.

Hidratar, matar a sede é função da água, nossa deliciosa e refrescante água potável, filtrada no filtro!

Retirado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia – 2013 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

12 – Gemada:

Antigamente era receita de pra bebê crescer forte e saudável, mas sabe-se que é super arriscado fazer este tipo de preparação pros nossos bebês.

Ovo cru é terminantemente proibido por causa do grande índice de infecção por conta da Salmonella. A bactéria causa dores de barriga, diarréia e pode levar à morte. Ovo pode e deve ser dado, mas muito bem cozido.

Além claro, da grande quantidade de açúcar que se coloca na gema pra ficar “gostosa”, não é?

Essa fase é muito importante pra se começar a criar os hábitos alimentares de nossos bebês, por isso, esperar a hora certa pra oferecer certos alimentos é fundamental.

Novamente não estou demonizando nenhum alimento específico. Apenas saliento a hora certa de oferecer aos bebês.

Quer variar a alimentação deles? Vá à feira e compre verduras, legumes e frutas variadas. Saia da mesmice da banana, maçã e mamão ou então alface, cenoura e batata! Ofereça fruta do conde, chicória, quiabo!

É nutritivo, saboroso e acreditem, eles vão adorar!

Bichectomia: cirurgia pra reduzir as ...



Procedimento famoso nos EUA e que já caiu no gosto de muitas celebridades está conquistando as brasileiras
Esqueça (um pouco) as próteses de silicone e a lipoaspiração. A cirurgia do “momento” é a bichectomia, nome um tanto confuso que a gente decifra agora pra você: retirada da bola de bichat, gordura que fica nas bochechas e deixa o rosto redondinho. Pense rápido em Angelina Jolie e Megan Fox. Famosas pelas maçãs do rosto superdestacadas, elas são algumas das celebs que optaram pela cirurgia de redução em troca de um perfil fino e magro. Reparou no antes e depois? Nos Estados Unidos, o procedimento já é famoso há anos, mas aqui no Brasil ainda é novidade e já está caindo no gosto da mulherada insatisfeita com as bochechas avantajadas. Elas começaram a procurar após sair na mídia que o resultado deixa o rosto mais definido e maçãs mais evidentes
Ela é considerada simples e pode ser feita com anestesia local e aí é feita a retirada de um acúmulo de gordura que se encontra na região das bochechas. Essa quantidade pode variar de acordo com o aspecto genético ou devido ao excesso de peso da pessoa”, explicou. O corte é pequeno (cerca de 1 cm) na parte interna da boca e depois é fechado com pontos de fios absorvíveis, que não deixam cicatrizes.

Depois da cirurgia
O pós-operatório exige alguns cuidados, mas nada fora do normal, viu?" Dieta leve por 10 dias, compressa de gelo no local de 3 a 4 vezes por dia, evitar esforço físico, não se expor ao sol e não fazer atividade física por três semanas."

E aí, será que a moda pega?

http://revistaglamour.globo.com/

Saiba o que acontece com o seu corpo quando ...



1 – Sua pele ficará visivelmente melhor

A ligação entre a dieta e a acne é um assunto debatido há muito tempo por especialistas, que sugerem que essa relação existe.

 

No entanto, os laticínios não são os únicos culpados. Alimentos que contêm muito açúcar também podem contribuir para uma pele ruim. Um estudo realizado em 2013 revelou que os alimentos com alto teor de glicose – que incluem refrigerantes, doces, bolo e chocolate – têm um impacto direto no surgimento e na gravidade da acne.

 

Isso porque eles são rapidamente absorvidos pela circulação sanguínea e desencadeiam a produção de hormônios, como a insulina que ajuda a glicose a ser absorvida pelo organismo. Sendo assim, quanto maior a taxa de glicose no sangue, mas insulina é liberada pelo organismo, o que aumenta a produção de gordura do sangue. Além da acne, disso pode levar ao colesterol alto e à obstrução de artérias, fazendo de você, um forte candidato a ter um acidente vascular cerebral (AVC) ou ataque cardíaco.

 

2 – Além de melhor, ficará visivelmente mais jovem

Comer uma grande quantidade de açúcar pode fazer sua pele envelhecer mais rápido. Em um estudo realizado pela Universidade de Leiden, os cientistas descobriram que pessoas com idade entre 50 e 70 anos, com alto nível de glicose no sangue, aparentavam estar muito mais velhos do que as pessoas em que o nível de açúcar no sangue era menor.

 

Para cada 180 gramas de glicose por litro no sangue dos participantes, sua idade aparente subiu cinco anos. Isso porque o colágeno e a elastina, responsáveis pela aparência mais jovem da pele, tornam-se mais rígidos com a ingestão regular de açúcar. O resultado é o aparecimento precoce de rugas, segundo disse o Dr. Ross Perry, um médico da clínica Cosmedics, em Londres, para o jornal Mail Online.

 

3- Suas noites de sono serão melhores

Dieta, sono e energia são interligados. Se você cortar o açúcar de sua dieta, rapidamente vai conseguir notar uma mudança no seu padrão de sono. Em um estudo realizado neste mês pelo Science Daily, que tinha o objetivo de examinar o impacto de diferentes grupos de alimentos sobre o sono, foi comprovado que o açúcar é o maior responsável pela má qualidade do sono. A gordura saturada e o açúcar diminuem o tempo gasto no “sono profundo”, ou seja, fazem você dormir pior.   

 

4 – Seu coração será beneficiado

É o que diz o cientista cardiovascular James J. DiNicolantonio. Considerando o impacto do açúcar no risco de surgimento de doenças cardiovasculares, ele descobriu que o açúcar pode estar relacionado à hipertensão, assim como o sódio.

 

Uma pessoa que consome 25% a mais de açúcar do que é recomendado, corre um risco quase três vezes maior de desenvolver uma doença cardiovascular do que as que seguem a recomendação dietética.

 

5 – Você vai ficar de bom humor

Estudos revelam que alimentos ricos em açúcar impactam o humor das mulheres na pós-menopausa, e podem ser um fator de risco para o desenvolvimento de depressão. Isso porque o açúcar sendo facilmente absorvido pelo sangue, pode fazer você se sentir irritado e mal-humorado mais tarde. Enquanto que o maior consumo de lactose, fibras, frutas sem açúcar e legumes foi associado a uma menor chance do desenvolvimento de depressão.

 

6 – Sua memória ficará melhor

Uma boa notícia para os mais “esquecidos”: abandonar o açúcar faz muito bem para o seu cérebro. Pelo menos é o que fiz um estudo realizado pela Universidade da Califórnia. Segundo os pesquisadores, existe uma ligação entre uma dieta rica em açúcar e uma função cerebral prejudicada. Eles também verificaram que o aumento da administração de frutose teve um impacto particular sobre a memória dos animais testados. Sendo assim, cortar o açúcar vai fazer sua memória funcionar direitinho.

 

7 – Obviamente, você irá perder peso

Está comprovado: a gordura não é o maior inimigo do peso, o açúcar é. Em uma revisão de estudos, publicado pelo The BMJ (British Medical Journal), cientistas analisaram sistematicamente a relação entre a ingestão de açúcar e a produção de gordura corporal em adultos e crianças.

 

Os dados sugerem que o aumento da gordura corporal ocorre com a ingestão de açúcares, que causam uma profunda alteração na produção de energia. Além disso, ao cortar o açúcar da dieta, você notará uma sensível melhora na digestão, isso porque o aparelho digestivo trabalhará melhor para processar todos os alimentos.

 

O Verdadeiro Significado do Natal

O Verdadeiro Significado do Natal


Fazer compras, visitar o papai Noel no shopping e se der tempo comparecer à missa do Galo. Pode parecer estranho, mas, essa é a realidade que muitos chamam de época de Natal. Mas, será que o Natal pressupõe consumismo desenfreado? Seria verdade que a época de Natal não tem outro significado a não ser se fartar de comidas e de presentes? A resposta, é claro, é negativa.

O Natal tem um propósito religioso que vai muito além do que a sociedade prega hoje. Viver o dia de Natal é comemorar o milagre do nascimento de Jesus Cristo e fazer despertar em todos nós a esperança em nosso Deus.

O Natal dos cristãos católicos

Sabemos que os católicos alimentam a crença de que Jesus veio na condição de filho de Deus, assumindo a forma humana para que pudéssemos crer na salvação. Dessa maneira, o Natal para os católicos é a celebração dessa vinda de Jesus ao mundo terreno, que tanto nos ensinou.

Na Bíblia Sagrada, podemos encontrar uma passagem no Evangelho segundo São Matheus, que descreve o nascimento de Jesus:

“Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, ela se achou ter concebido do Espírito Santo.

E como José, seu esposo, era justo, e não a queria infamar, intentou deixá-la secretamente.

E, projetando ele isso, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, pois o que nela se gerou é do Espírito Santo;

ela dará à luz um filho, a quem chamarás JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.

Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito da parte do Senhor pelo profeta:

Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.

E José, tendo despertado do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu sua mulher;

e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho; e pôs-lhe o nome de JESUS.”(MT, 2: 18-25)

Além das tradições de fé na época de Natal, tais como a celebração do Advento,a montagem do Presépio e as missas especiais, os católicos também devem observar que a época de natalina é propícia para meditações e silêncios que o tragam a uma vida nova e plena.

Segundo Papa Bento XVI, o cristão católico deve perceber que a época do Natal é tempo de festejar e celebrar o nascimento do filho único, mas é também a época em que devemos nos silenciar e fortificarmos ainda mais nossa fé.

O cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno de Assis, também destacou recentemente em um pronunciamento essa importância de entender o verdadeiro significado do que o Natal deve ser para o cristão “lembrança viva que o Filho de Deus assumiu a condição humana e veio habitar entre nós, para trazer a Salvação a todos. Somente em Jesus encontramos a verdadeira alegria e experimentamos o amor infinito de Deus por nós. “Tanto Deus amou o mundo que lhe deu seu Filho Único” (Jo 3,16). Deveria ser oportunidade de conversão para uma vida nova. Tempo de praticar mais a solidariedade e o amor ao próximo”, destacou.

Acreditar no Natal

Acreditar e viver o verdadeiro sentido do Natal talvez seja que falte e todos os cristãos e pagãos atualmente. Mostrar aos filhos que o Natal não é somente época de ganhar presentes e montar árvores e enfeites, para que se celebre é necessário saber o motivo dessa festa e o motivo da festa é o nascimento de Jesus.

Assim, o Natal é uma época em que devemos fortificar nossa fé e admirar a força de Jesus, a coragem de Maria, a lealdade de José e o milagre de Deus.

Aline Rodrigues Imercio
Fontes: CNBB.com.br

DR TAGO TAVARES APOIA O NOVEMBRO AZUL



O câncer de próstata não pode ser prevenido, mas há 90% de chances de cura quando diagnosticado precocemente. Assim, realizar exames periodicamente é a melhor maneira de se prevenir contra a doença. Sociedades médicas recomendam que homens a partir dos 50 anos de idade façam o exame de próstata anualmente, e acima dos 45, caso esteja inserido nos fatores de risco.

O ritual compreende o toque retal e o exame de sangue, para checar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Havendo alguma suspeita, o paciente deve se submeter à biópsia da próstata. O toque retal é considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue ou por qualquer outro exame, como o ultrassom. Somente com o resultado dessa análise do tecido é que poderá ser fornecido o diagnóstico.

Sabe-se que uma mudança no estilo de vida é crucial para aumentar a sobrevida, incluindo uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas no dia a dia.




CIRURGIA ORTOGNÁTICA: POR UMA HARMONIA ...


Atriz Ingrid Guimarães se submeteu à cirurgia ortognática e apresenta melhor harmonia facial. Queixo proeminente é uma das indicações da cirurgia ortognática, como no caso de Ingrid Guimarães


Mudar consideravelmente a fisionomia do rosto. Esse é o poder que tem a cirurgia ortognática, capaz de mexer no queixo, na gengiva no maxilar do paciente e consertar mandíbula avançada, mandíbula retraída, mordida aberta, maxilar saliente. Ou seja: corrigir o desenvolvimento ósseo facial fora do ideal.

São alterações ósseas que estão fora do desenvolvimento ideal do rosto que podem causar distorções na face do paciente.  A má formação, digamos assim, pode provocar ainda problemas relacionados à má respiração, à fala, à estética facial e à mastigação.

A cirurgia é realizada sob anestesia geral. Em muitos casos, o procedimento é feito totalmente por dentro da boca sem a necessidade de corte externo. Explicando de maneira simples, há a soltura do maxilar superior, da mandíbula e do queixo, todos juntos ou de acordo com a indicação do cirurgião. A fixação é realizada com mini parafusos de titânio.

E se você está pensando em se submeter à cirurgia ortognática é melhor programar um mês de repouso. Saiba ainda que o bom resultado do procedimento cirúrgico está ligado diretamente aos cuidados do pós-operatório. É necessário um dia de internação.

Blog Opovo.com.br




A importância da fisioterapia no ...

A importância da fisioterapia no pós-operatório de ortognática
Quais os sintomas que posso apresentar no pós-operatório de cirurgia ortognática?

-Inchaço;
-Limitação dos movimentos da mandíbula;
-Alteração da sensibilidade da face.

Qual o objetivo da fisioterapia?

-Diminuir a formação do inchaço e acelerar o seu desaparecimento;
-Acelerar a recuperação dos movimentos mandibulares;
-Auxiliar na deglutição;
-Mímica facial;
-Recuperação da sensibilidade total da face.


De que forma é feito o trabalho da fisioterapia?

-Drenagem linfática;
-Massagens e mobilizações;
-Crioterapia (uso de gelo);
-Laser;
-Exercícios livres e assistidos dos músculos da mímica facial.

Paciente com direito garantido: ...



A Resolução 10 do CONSU, de 4 de novembro de 1998, em seu artigo 5º, inciso I, impõe a obrigatoriedade de cobertura das cirurgias bucomaxilofaciais:

• ART. 5º. O Plano Hospitalar compreende os atendimentos em unidade hospitalar definidos na Lei n.º 9.656/98, não incluindo atendimentos ambulatoriais para fins de diagnóstico, terapia ou recuperação, ressalvado o disposto no inciso II deste artigo e os atendimentos caracterizados como de urgência e emergência, conforme Resolução específica do CONSU sobre urgência e emergência, observadas as seguintes exigências:

I – cobertura de cirurgias odontológicas buco-maxilo-faciais que necessitem de ambiente hospitalar

A Resolução Normativa 211 da ANS, segue no mesmo sentido:

• ART. 18. O Plano Hospitalar compreende os atendimentos realizados em todas as modalidades de internação hospitalar e os atendimentos caracterizados como de urgência e emergência, conforme Resolução específica vigente, não incluindo atendimentos ambulatoriais para fins de diagnóstico, terapia ou recuperação, ressalvado o disposto no inciso X deste artigo, observadas as seguintes exigências:

VIII - cobertura dos procedimentos cirúrgicos buco-maxilo-faciais, para a segmentação hospitalar, incluindo a solicitação de exames
complementares e o fornecimento de medicamentos, anestésicos, gases medicinais, transfusões, assistência de enfermagem, alimentação,
órteses, próteses e demais materiais ligados ao ato cirúrgico utilizados durante o período de internação hospitalar;

Assim, nos contratos regulamentados e nos contratos adaptados, as operadoras devem prestar cobertura às cirurgias buco-maxilo-faciais.

Quanto aos contratos não regulamentados, as decisões do Poder Judiciário vêm se fortalecendo no sentido da obrigatoriedade da
cobertura, com fundamento na aplicação do Código de Defesa do Consumidor ou na importância de direito fundamental do acesso à
saúde.

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN N° 259, DE 17 DE JUNHO DE 2011

Dispõe sobre a garantia de atendimento dos beneficiários de plano privado de assistência à saúde e altera a Instrução Normativa –
IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos – DIPRO.

NATUREZA DAS CIRURGIAS BUCO-MAXILO-FACIAIS:

PROCEDIMENTO MEDICO OU ODONTOLOGICO?

1. Muito já se discutiu se as cirurgias buco-maxilo-faciais teriam natureza médica ou odontológica. Essa discussão era feita pelas
operadoras, que sustentavam que as cirurgias tinham natureza odontológica, e que, portanto, não deveriam ter cobertura pelos
contratos de seguro saúde.

Essa discussão não tem mais fundamento nos dias de hoje, já que a ANS já determinou que as cirurgias buco-maxilo-faciais devem ser cobertas pelos contratos de seguro saúde, conforme a Súmula 11 da ANS, de 20 de agosto de 2007, especialmente nos pontos 2 e 3:

2. A solicitação das internações hospitalares e dos exames laboratoriais/complementares, requisitados pelo cirurgião-dentista,
devidamente registrado nos respectivos conselhos de classe, devem ser cobertos pelas operadoras, sendo vedado negar autorização para realização de procedimento, exclusivamente, em razão do profissional solicitante não pertencer à rede própria, credenciada ou referenciada da operadora;

3. A solicitação de internação, com base no art. 12, inciso II da Lei n° 9.656, de 1998, decorrente de situações clínicas e cirúrgicas de interesse comum à medicina e à odontologia deve ser autorizada mesmo quando solicitada pelo cirurgião-dentista. Além do
mais, os tribunais vêm reiteradamente decidindo que os procedimentos buco-maxilo-faciais situam-se tanto na área médica quanto
odontológica, de forma que, mesmo quando realizados por cirurgiões-dentistas, a cobertura é obrigatória.

O poder de um sorriso



Um sorriso não custa nada, mas seu poder é fantástico!

Dura só um momento, mas sua lembrança perdura pela vida a fora, toca no intimo.

Não se pode comprá-lo, mendigá-lo, pedi-lo emprestado ou roubá-lo.



Não tem utilidade enquanto não é dado, nem tão pouco sorriso forçado.

E por isso se no seu caminho encontrares uma pessoa por demais cansado para lhe dar um sorriso, deixa-lhe o seu, pois ninguém precisa tanto de um sorriso quanto aquele que não tem mais um a oferecer.

Seu sorriso será tão precioso para esta pessoa que no momento que ela receber ela sentira a magia da felicidade incendiar o seu viver, e ela de gratidão lhe retornará um belo e meigo sorriso.

Por isso, conserve este brilho de alegria em seu rosto, pois mesmo que você não perceba através do seu sorriso, você transmite para as pessoas que caminham ao seu lado forças, alegrias e coragem!




Como prevenir o mau hálito?



1. Realize diariamente, após as refeições, uma boa higienização dos dentes com o uso do fio-dental e escova macia. É muito importante a prevenção às doenças, ou seja, aprender a técnica correta de escovação com o cirurgião dentista ou com um(a) TSB (técnico em saúde bucal), profissão até recentemente denominada THD (técnica em higiene bucal).

2. Para portadores de doenças da gengiva (doença periodontal e gengivite) ou para quem usa aparelho ortodôntico ou próteses removíveis ou totais recomenda-se a utilização de escovas especiais e técnica de escovação especializada ensinada pelo cirurgião dentista ou por uma TSB (técnica em saúde bucal).

3. Fazer a limpeza da língua delicadamente com uma técnica adequada, que deve ser selecionada de acordo com o seu grau de formação de saburra lingual. Os produtos para realizar esta técnica, você encontra na Loja eletrônica dos Produtos Halitus (www.halitofresco.com.br), na sessão de limpeza da língua.

4. Fazer refeições regulares, a cada 4 horas, dando preferência a alimentos fibrosos, para estimular uma maior produção de saliva.

5. Tomar no mínimo 2 litros de líquido diariamente, pois isso aumenta a produção de saliva e hidrata o organismo e a boca, prevenindo a formação de placa bacteriana.

6. Não utilizar enxaguatórios bucais com álcool, que ressecam a boca e induzem a formação de placa bacteriana.

7. Escolher enxaguatórios e produtos, como os que são utilizados nos Kits de produtosHalitus, também a venda na loja Halitus (www.halitofresco.com.br), que tenham comprovação científica sobre as principais causas da halitose.

8. Controlar seu nível de estresse com alimentação saudável, exercícios físicos regulares e uma rotina de lazer e/ou relaxamento.

9. Se ocorrer sangramento em sua gengiva ao escovar os dentes ou utilizando o fio dental, procurar um Cirurgião Dentista. Se o problema for somente a Gengivite, aprender a técnica correta de escovação com o cirurgião dentista ou com uma TSB (técnica em saúde bucal) resolverá o problema; entretanto, se houver doença periodontal, é fundamental procurar ajuda especializada, com um especialista em Doenças da gengiva (Periodontista). Neste caso, utilizar escovas de dentes para uma higiene avançada, também à venda no site www.halitofresco.com.br.

10. Evitar o consumo excessivo de alimentos que possam alterar o odor do hálito (alimentos odoríferos):

- alimentos com alto teor de proteína e gordura animal (salame, mortadela, etc.);

- alimentos com alto teor de enxofre (repolho, couve flor, etc., além de alho e cebola crus ou em excesso);

- Evitar o consumo excessivo de café e de bebidas alcoólicas, especialmente se estiver estressado(a) ou ansioso(a).

Fonte: Dr. Maurício Duarte da Conceição / www.mauhalito.com.br.

Reportagem do Fantástico sobre a ...



Bichectomia desponta como uma das preferidas dos brasileiros

Bichectomia retira bolsas de gordura das bochechas e deixa rosto mais fino.

Procura pelo tratamento triplicou no Brasil.

O Brasil é líder em procedimentos cirúrgicos estéticos. E duas cirurgias estão despontando na preferência nacional. Uma delas tem um nome meio esquisito.

Você sabe o que quer dizer bichectomia?

E esse nome esquisito vem das ‘bolas de bichat’, bolsas de gorduraque ficam na bochecha, entre a maçã do rosto e a mandíbula. No
procedimento, o cirurgião faz um corte de um a um centímetro na parte interna da boca e retira as bolas de bichat.

O resultado é um rosto mais fino.

“A pessoa que tem a bochecha mais proeminente muitas vezes se incomoda com isso e a cirurgia está aí para resolver esse problema”.

O Fantástico trouxe um aplicativo que não é utilizado nos consultórios pelos cirurgiões, mas já dá para ter ideia de como a
pessoa vai ficar se ela fizer a bichectomia.

“Eu não gosto. Acho meu rosto muito grande”, conta uma mulher.

“Eu fico com o rosto mais delicado, fico mais magrinha. Eu me sinto melhor”, diz depois do teste.

“Sumiu bastante a bochecha. Estava bem gordinha, agora está bem melhor”, comenta outra mulher.

Nem todo mundo achou o mesmo.

“É meu charme hoje”, diz um homem.

“Quem não quer ficar com a aparência melhor, o rosto mais fino?”, pergunta uma mulher.

Era exatamente o que a Fernanda queria. “Eu achava meu rosto muito redondinho. E isso me incomodava muito. E quando eu reclamava, o povo falava, emagrece”, conta.

Ela emagreceu 10 quilos e o rosto continuou rechonchudo. Até que decidiu fazer a bichectomia, no fim do ano passado. “Afina
principalmente a parte aqui debaixo. Eu passo o dedo e sinto bem mais baixo”, diz Fernanda Martins Lopes, estudante de medicina.

“A gente não sabe dizer oficialmente. Mas olhando fotos de antes e depois a gente vê que a Angelina Jolie provavelmente fez, a Madonna provavelmente fez. O contorno do rosto, da face, da região da bochecha mudou”, afirma o cirurgião.

Se ela for banalizada, feita de qualquer modo, em qualquer lugar, por profissionais não treinados, a possibilidade de complicação é
grande.

Bichectomia, redução dos seios. Se está na moda, não importa. O que elas querem é se sentir mais bonitas.

“Eu estou me sentindo super feliz”, afirma Vicência.

FERNANDA: Eu me sinto bonita.

FANTÁSTICO: Agora tira muita foto?

FERNANDA: Muita selfie agora!

A BICHECTOMIA É UM PROCEDIMENTO CIRÚRGICO FEITO COM SEGURANÇA POR UM CIRURGIÃO BUCOMAXILOFACIAL; QUE É O PROFISSIONAL RESPONSÁVEL POR CIRURGIAS REPARADORAS E ESTÉTICAS NA FACE, PORTANTO FEITO COM SEGURANÇA DEVIDO A PRECISÃO DO CONHECIMENTO ANATÔMICO DA REGIÃO A SER OPERADA.

Agende uma consulta com o Dr Tiago Tavares para realização da sua cirurgia de Bichectomia. Seja bem vindo (a)!

Feliz Dia das Mães Mamãe!

Desejamos um feliz dia das mães a todas as mães do mundo! Amorosas, educadoras, sinceras, meigas e verdadeiras.





Tu és divina e graciosa
Estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor
Da alma da mais linda flor
De mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor
Se Deus me fora tão clemente
Aqui nesse ambiente de luz
Formada numa tela deslumbrante e bela
Teu coração junto ao meu lanceado
Pregado e crucificado sobre a rósea cruz
Do arfante peito teu

Tu és a forma ideal
Estátua magistral. Oh, alma perenal
Do meu primeiro amor, sublime amor
Tu és de Deus a soberana flor
Tu és de Deus a criação
Que em todo coração sepultas um amor
O riso, a fé, a dor
Em sândalos olentes cheios de sabor
Em vozes tão dolentes como um sonho em flor
És láctea estrela
És mãe da realeza
És tudo enfim que tem de belo
Em todo resplendor da santa natureza

Perdão se ouso confessar-te
Eu hei de sempre amar-te
Oh flor meu peito não resiste
Oh meu Deus o quanto é triste
A incerteza de um amor
Que mais me faz penar em esperar
Em conduzir-te um dia
Ao pé do altar
Jurar, aos pés do onipotente
Em preces comoventes de dor
E receber a unção da tua gratidão
Depois de remir meus desejos
Em nuvens de beijos
Hei de envolver-te até meu padecer
De todo fenecer

Rosa
Pixinguinha

Dia Mundial da Saúde Bucal visa dentes ...


Dia Mundial da Saúde Bucal visa dentes saudáveis para uma vida saudável

Mais de 14 mil novos casos de câncer bucal são registrados por ano no Brasil, a maioria entre homens. São mais de 4 mil mortes por ano. O país tem a terceira maior incidência da doença no mundo, atrás apenas da Índia e da antiga Tchecoslováquia. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Além do câncer bucal, o Brasil ainda sofre com uma série de outros problemas bucais: cerca de 56% das crianças com 12 anos têm dentes cariados.

Com o objetivo de orientar a população sobre os problemas bucais e de mobilizar a odontologia nacional, a Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) lança a campanha da Federação Dentária Internacional (FDI) para comemorar o Dia Mundial da Saúde Bucal 2014, no dia 20 de março, próxima quinta-feira. Em vários países, inclusive o Brasil, são realizadas ações que pretendem diminuir os índices de cárie, doenças periodontais e perda dos dentes. Neste ano, o tema central da campanha é ‘Dentes Saudáveis para uma Vida Saudável’.

Mais de 90% da população mundial vão sofrer alguma forma de doença bucal em suas vidas, que vão desde cáries, doenças periodontais a câncer oral. Porém, alerta o presidente do Conselho Regional de Odontologia de Goiás (CROGO), Rodrigo Marinho de Oliveira Rezende, muitos desses problemas podem ser tratados ou prevenidos com uma rotina de cuidados bucais diários.

Entre os cuidados bucais, estão escovar bem os dentes, de duas a três vezes ao dia, e usar fio dental diariamente; usar produtos de higiene bucal, inclusive creme dental que contenha flúor; garantir que crianças abaixo de 12 anos tomem água potável fluoretada ou suplementos de flúor, se habitarem regiões onde não haja flúor na água; ir regularmente ao dentista; etc

“No Dia Mundial da Saúde Bucal, queremos incentivar, através da campanha, os cirurgiões-dentistas a se engajarem na luta pela melhoria da saúde bucal da população, que acaba tendo reflexo na saúde integral e na qualidade de vida da sociedade”, afirma o presidente do CROGO.

História

O Dia Mundial da Saúde Bucal foi instituído em 2007, durante a Reunião Anual da FDI, em Dubai. A data escolhida inicialmente foi 12 de setembro, dia do aniversário do fundador da entidade, Charles Godon. Mais tarde, por questões práticas aliadas ao planejamento e organização de cada célula da Federação, foi alterada para 20 de março.

A intenção é lembrar que o cuidado com os dentes, gengiva e mucosa bucal tem papel crucial na capacidade de realizar atividades diversas, como trabalhar e estudar, além de melhorar a autoestima e confiança das pessoas. É também uma oportunidade de sensibilizar e incentivar a população, famílias, comunidades e governos a tomarem medidas para reduzir a incidência de doenças bucais.

Dados da FDI sobre saúde bucal e doenças bucais no mundo

* 90% da população terá doença bucal ao longo de sua vida, que vão desde cáries, doenças periodontais a câncer oral.

* Apenas 60% da população mundial têm acesso a cuidados bucais.

* 60% a 90% das crianças em idade escolar, no mundo, têm a doença cárie.

* Dor de dente é a razão número um para o absentismo nas escolas em muitos países.

* Embora a carga de doenças bucais esteja diminuindo nos países desenvolvidos, as complicações periodontais estão se tornando mais comum, especialmente em pessoas mais velhas. Principais fatores de risco como o tabaco e o consumo de álcool e uma dieta rica em gordura, sal e açúcar contribuem para uma série de doenças crônicas, incluindo doença bucal.

* O principal cuidado individual com a saúde bucal é a prevenção, com escovação duas vezes ao dia, com creme dental com flúor e visitas regulares ao cirurgião-dentista.

* Há mais de um milhão de cirurgiões-dentistas qualificados em todo o mundo que, usando tratamentos modernos, podem restaurar quase todas as funções e estética de uma dentição saudável. No entanto, eles não estão distribuídos igualmente ao redor do planeta, deixando muitas das regiões mais pobres e mais carentes com menos de um cirurgião-dentista para uma população de 300 mil pessoas.

(Fonte: FDI)

A cárie no Brasil

A cárie dentária continua sendo o principal problema de saúde bucal dos brasileiros.
* Na idade de 12 anos, o índice de cárie é de 56%.

* O número médio de dentes atacados por cárie é de 2,1, com variações por regiões.

* As necessidades de próteses dentais em adolescentes são de 52%.

* Entre os adultos o destaque cabe a uma importantíssima inversão de tendência: as extrações de dentes vêm cedendo espaço aos tratamentos restauradores. Em adultos, as necessidades de próteses reduziram-se em 70%.

Fonte: Ministério da Saúde (Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – SB-Brasil 2010; CROGO)

BICHECTOMIA: COMO AFINAR O SEU ROSTO


Deixar as maçãs do rosto mais evidentes e um aspecto mais alongado à face, como as de Angelina Jolie, é possível com a Bichectomia, nome dado ao procedimento para reduzir o volume das bochechas. A indicação é a estética, cujo objetivo é fazer o rosto tornar-se mais fino, com bochechas menores.

Ideal para quem quer dar um aspecto mais alongado para o rosto e destaque para os ossos da face, a Bichetomia é uma opção de tratamento cada vez mais comum no Brasil. Nos Estados Unidos já é rotineiro.

O procedimento ganha este nome, pois caracteriza-se pela remoção da “Bola de Bichat”, um tecido gorduroso que localiza-se entre os músculos da mastigação, nas laterais da face.

Este procedimento é realizado por um Cirurgião Buco-Maxilo-Facial, com anestesia local, com ou sem sedação, ou mesmo com anestesia geral, a depender do consenso entre cirurgião – paciente.

A Bichectomia é feita por meio de uma pequena incisão (de 1 a 2 cm) dentro de cada lado da boca, próxima ao siso superior, não deixando cicatrize aparente. O procedimento dura cerca de 40 minutos e o tempo de recuperação depende de cada paciente, mas, em geral, leva de dois a quatro dias.

Algumas pessoas apresentam um volume maior de gordura na face, sendo a cirurgia recomendada para estes casos.
As pessoas que passam por essa cirurgia devem optar por alimentos macios e gelados (sorvetes, gelatinas, vitaminas, purês, sucos) nos dois primeiros dias, além de manter a higiene bucal com uso de antisséptico, gelo na área das bochechas e deve evitar esforço físico e ambientes quentes.

O pós-operatório é feito em casa, sem a necessidade de internação.

É o que fizeram as famosas Angelina Jolie e Megan Fox: afinaram a silhueta da face. Quando a mulher tem maçãs muito destacadas, vale a pena investir nesse tipo de procedimento.

Agende uma consulta com o Dr. Tiago Tavares e seja bem vindo (a)!

BICHECTOMIA: RISCOS E LIMITAÇÕES

A face é uma região que apresenta muitas estruturas nobres como veias, artérias, nervos, ductos salivares e etc. Na respectiva região a ser operada para a Bichectomia, a área acessada localiza-se entre dois músculos da mastigação, acesso simples por dentro da boca, próximo ao siso. Para que o procedimento seja feito de maneira segura e eficiente, procure um especialista – Cirurgião Buco-Maxilo-Facial, com registro no Conselho Regional e Federal de Odontologia, para que você tenha segurança.

Uma limitação encontrada para esta cirurgia é para pessoas que estão muito acima do peso. A Bichectomia retira o excesso de gordura das bochechas, não tendo o poder de emagrecimento da face como um todo. Isto deve ficar bem claro para não haver decepções com o resultado.

Agende uma consulta com o Dr. Tiago Tavares e seja bem vindo (a)!

Conheça a cirurgia ortognática!


É indicada nas situações em que o paciente não possui o encaixe correto 
dos dentes (má oclusão dentária) e ao mesmo tempo possui a maxila ou a 
mandíbula muito para frente ou muito para trás. Características 
transmitidas geneticamente fazem um queixo longo ou curto demais.

Benefícios

O principal benefício da Cirurgia Ortognática é a melhora do padrão 
psicossocial, uma vez que a face proporciona um significado importante 
na vida social. Estudos internacionais recentes comprovam isto e 
demonstram ainda que indivíduos que necessitam de cirurgia ortognática 
são mais retraídos, apresentam baixa autoestima e elevados níveis de 
ansiedade.

Conheça e Previna-se do Câncer de boca



 
Segundo INCA ( Instituto Nacional do Câncer José de Alencar Gomes da Silva) o câncer que afeta lábios e o interior da cavidade oral. Dentro da boca devem ser observados gengivas, mucosa jugal (bochechas) palato duro (céu da boca) e língua (principalmente as bordas), assoalho (região embaixo da língua). O câncer do lábio é mais comum em pessoas brancas e ocorre mais frequentemente no lábio inferior.

Alguns sintomas são :

Os principais sinais que devem ser observados são:

 
1 - Lesões na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias.
2 - Manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, palato (céu da boca), mucosa jugal (bochecha).
3 - Nódulos (caroços) no pescoço.
4 - Rouquidão persistente.


Nos casos mais avançados observa-se:

1 - Dificuldade de mastigação e de engolir.
2 - Dificuldade na fala.
3 - Sensação de que há algo preso na garganta.


O câncer de boca acomete mais os homens acima dos 40 anos. Os fatores de risco mais conhecidos para o câncer de boca são fumantes que, segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos pacientes diagnoticados com om câncer de boca eram tabagistas. Pessoas que consumem bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver cancer de boca.

Além destes fatores, observa-se em pacientes com câncer de boca uma higiene bucal deficiente e uma dieta pobre em proteínas, vitaminas e minerais e ricas em gorduras.


Fonte: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/boca/

Cirurgia Ortognática: o que é e quais são ...

A cirurgia ortognática é o tratamento para pacientes que possuem deformidades envolvendo o esqueleto facial e os dentes. Quando não é possível resolver o caso somente com o tratamento ortodôntico, uma vez que o problema está no excesso ou falta de crescimento do esqueleto facial e não somente na posição dos dentes, então se faz necessária a cirurgia ortognática.

Qual a origem das deformidades?

Essas deformidades podem ter origem nas Síndromes e Anomalias Específicas (fatores teratogênicos,fatores embriológicos, microssomia hemifacial, Treacher Collins, fissuras faciais, crânio-sinostoses, Pierre Robin...), distúrbios de crescimento após o nascimento, trauma facial, problemas musculares e hormonais ou de origem genética quando existe algum familiar com as mesmas características.

E comum ocorrer o paciente ter a mandíbula grande representando o prognatismo mandibular como as fotografias da paciente abaixo mostrando antes e após o tratamento.

      

 

Outros pacientes apresentam a mandíbula pequena, retrognatismo mandibular semelhante ao saudoso compositor Noel Rosa como é o caso da paciente abaixo.

      

Muitas vezes o paciente apresenta problemas combinados associando o maxilar inferior e o maxilar superior, por exemplo: o excesso de crescimento mandibular (mandíbula grande) e a falta de crescimento maxilar (a maxila para trás) necessitando operar os dois segmentos. O paciente a baixo é um exemplo clássico de problema combinado. O maxilar superior foi colocado para frente e o inferior (a mandíbula) para traz.

      

O diagnóstico e o planejamento cirúrgico são realizados minuciosamente antes da cirurgia nos modelos de estudo montados em articulador odontológico, radiografias e com o auxílio de computação gráfica.

Veja fotos do articulador abaixo com os modelos antes a após o planejamento cirúrgico.

      

Quais os benefícios deste tratamento ortodôntico e cirúrgico?

• Melhora da relação entre os dentes, músculos e esqueleto

• Melhora da respiração

• Melhora do posicionamento da musculatura do pescoço

• Melhora do posicionamento da língua

• Melhora da fonação e da articulação das palavras

• Melhora da oclusão e da articulação temporomandibular

• Melhora da mastigação e da digestão

• Melhora no relacionamento social

Quais podem ser as fases do tratamento?

• Exodontia dos dentes do siso deve ser no mínimo avaliada antes da montagem do aparelho ortodôntico
• Montagem do aparelho ortodôntico fixo – o tratamento ortodôntico pode levar de 8 a 24 meses antes da cirurgia para deixar os dentes em uma posição adequada
• Cirurgia Ortognática (ainda com o aparelho de ortodôntico nos dentes)
• Trinta dias de recuperação (sem esforço físico, sem esporte e sol)
• Retorno ao tratamento ortodôntico de 30 a 60 dias após a cirurgia para melhorar definitivamente a posição dos dentes
• Controles periódicos com o cirurgião
• O tempo do Tratamento depende do grau de dificuldade do tratamento ortodôntico

Como a cirurgia é realizada?

A cirurgia é realizada no Hospital sob anestesia geral, mas antes é realizado o preparo do paciente com todos os exames necessários. O paciente é internado na manhã da cirurgia em "jejum absoluto" (não pode comer nenhum tipo de alimento nem tomar água nas 10hs antes da cirurgia) e dependendo do porte a cirurgia o paciente recebe alta hospitalar à noite ou na manhã do dia seguinte. A cirurgia é realizada totalmente por dentro da boca, não deixando cicatriz na face!

Existe dor após a cirurgia?

Não! O esqueleto é fixado com mini-placas e parafusos de titânio não permitindo micromovimentação dos ossos havendo ausência da dor. Haverá muito inchaço no rosto o que é normal e a partir do 4º dia começa a diminuir.

A boca fica amarrada? O osso fica fixado?

Não! Antigamente, era utilizado “fio de aço” para unir os ossos e devido a sua instabilidade era necessário manter a boca sem movimentação amarrando os dentes do paciente rigidamente por 30 ou 60 dias com fios de aço. Com o novo sistema de Fixação do Esqueleto com mini-placas e parafusos de titânio, o paciente sai da cirurgia e recebe alta hospitalar sem estar com a boca amarrada. Após quatro dias, inicia o uso de elásticos no aparelho ortodôntico que o próprio paciente coloca e retira em casa.

Quais são os cuidados Pós Cirúrgicos?

Dieta - "30 dias sem alimentos sólidos!” Durante 30 dias o paciente poderá comer alimentos líquidos e pastosos não podendo mastigar nada sólido. Deverá alimentar-se de sucos, vitaminas, sopas, caldos e cremes. A regra é a seguinte: o paciente por 30 dias pode comer "doces, salgados e até pedra desde que esteja batido e coado".

Cuidados Físicos - "30 dias sem esforço físico!” Normalmente, nos primeiros 15 dias, o paciente fica somente em casa. Praticamente, o seu único contato externo é com o seu cirurgião. Após 15 dias, é possível até freqüentar escola, pois o inchaço no rosto já diminuiu muito. Entretanto, durante os 30 primeiros dias após a cirurgia, o paciente não deve realizar nenhum esforço físico maior sendo aconselhável andar no banco traseiro do carro. Tampouco deve expor-se ao sol e manter-se afastado de esportes coletivos ou de riscos por 90 dias.

Saiba qual a hora certa de a criança ...



A Organização Mundial de saúde tem recomendações muito claras sobre amamentação: aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado por outros alimentos até os dois anos. É claro que a realidade da mãe moderna muitas vezes não permite que esta recomendação seja seguida.

Mesmo nestes casos, os alimentos mais sólidos não devem ser introduzidos precocemente devido à incapacidade do bebê muito novo de mastigar e deglutir corretamente. “Antes dos seis meses, os alimentos devem ser oferecidos de forma líquida ou pastosa, depois disso o aumento da consistência deve respeitar o desenvolvimento da criança”, indica a pediatra e nutróloga Denise Lellis, coordenadora do Ambulatório de Obesidade Infantil do Hospital Universitário da USP.

A especialista explica que, a princípio, os liquidificadores devem ser evitados para não deixar as papas com consistência muito próxima da líquida. “A intenção é desde o início apresentar à criança uma consistência diferente e que exija dela movimentos musculares diferentes dos que a sucção exigia”, diz Denise. Assim, peneira, garfo e espremedor de batatas são mais recomendados e, depois, alimentos macios cortados apenas com a faca.

Hora da papinha com pedaço

Ao contrário do que se pensa, não é preciso esperar os primeiros dentes nascerem para introduzir papinha com pedaços. Isso porque os alimentos massageiam a gengiva e podem ser partidos por ela. “Claro que nestes casos é preciso evitar alimentos duros que machuquem a as gengivas”, afirma Denise.

Segundo a pediatra Mariana Nudelman, do Hospital Israelita Albert Einstein, a criança precisa aprender a mastigar mesmo sem dentes, para fortalecer a musculatura orofacial e não criar modismos na hora de comer. “Assim, quando chegar aos 12 meses, ela já será capaz de entrar na rotina das refeições da casa”, diz Mariana.


Em geral, por volta de um ano de idade, a maioria das crianças consegue comer com uma consistência parecida com os alimentos da família. Mas é preciso evitar a pressa, já que é normal algumas demorarem mais para conseguir deixar a papinha. “O ideal é que, aos 12 meses, a criança já se alimente como os familiares da casa, pedaços e alimentos separados no pratinho, sem misturar tudo”, afirma Mariana

Desenvolvimento

É muito importante a criança começar a comer alimentos de consistências mais duras no momento certo. Além das questões nutricionais, alimentos mais duros propiciam melhor desenvolvimento da musculatura orofacial e da arcada dentária. “No futuro, esse desenvolvimento interfere diretamente no desenvolvimento da fala, mastigação e deglutição”, afirma Denise.

Uma dica é deixar a criança pegar o alimento com a mão para ajudar na coordenação motora. Mas a especialista alerta que isso não deve ser feito com alimentos que possam soltar pedaços grandes e obstruir as vias aéreas da criança. “O ideal é oferecer biscoitos que dissolvem na boca ou pedaços pequenos de frutas moles”, recomenda Denise.

“É muito importante a criança ter contato com a comida, pegar, amassar, olhar, sentir, mesmo que faça sujeira, isso faz parte do desenvolvimento”, diz Mariana.

Engasgos

Quando a criança estiver manipulando bem alimentos com pedaços na boca e deglutindo sem engasgar, o cuidador pode tentar introduzir pedaços pequenos e sentir como a criança lida com eles. “Se a criança engasgar muito os pedaços devem ser evitados até que a causa dos engasgos seja esclarecida”, afirma a pediatra.

É comum a criança engasgar principalmente nos primeiros dias. Muitas vezes, podem se assustar com o engasgo e dar trabalho para comer depois. Por isso, é preciso que a introdução de novos alimentos seja feita de forma calma e cuidadosa. “Para introduzir a papinha com pedaços, a cervical da criança deve estar com ótimo tônus e, caso o engasgo seja frequente, deve-se procurar auxílio médico”, diz a médica nutróloga, Elza Mello, da Associação Brasileira de Nutrologia.

Rejeição

Muitas crianças fazem movimentos com a língua como se não gostassem do alimento, mas na verdade elas só não estão acostumadas com o sabor e com a presença da colher na boquinha. O cuidador deve insistir nos dias seguintes para que a criança possa "treinar" e assim conseguir desenvolver essa capacidade. “Existem estudos que sugerem que uma criança pode levar até 20 tentativas para aceitar determinado alimento”, diz Denise.

Elza dá a dica de que, ao redor dos nove meses de vida, a criança deve ser estimulada a se alimentar sozinha. “Ela fica com uma colher, ou pegando pedacinhos com a mão do prato, e o cuidador a alimenta com outra colher”, afirma.

Também vale prestar atenção nas cores dos pratos dos bebês. Quanto mais cores, maior a variedade de nutrientes. “Mesmo quando o bebê ainda está com alimentação predominantemente na forma de papinha essa variedade deve ser respeitada para garantir o valor nutricional e não causar monotonia alimentar”.

Saúde bucal

A cirurgiã-dentista, Márcia Vasconcelos, consultora científica da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), explica que os alimentos duros só serão mastigados e triturados com a presença dos dentes, que iniciam a erupção entre os seis e oito meses. “Os molares só terminam a erupção próximos aos dois anos de idade”, diz. Segundo a especialista, uma alimentação balanceada, rica em fibras, promove nutrição e mastigação ideal para o desenvolvimento de uma boa saúde bucal.

Fonte: http://saude.terra.com.br/

A saúde começa pela boca



O organismo humano funciona como uma orquestra: cada órgão cumpre o papel de um instrumento. E, quando um desafina, o corpo todo pode ser afetado. Quando a saúde bucal não está em harmonia, as bactérias e os fungos naturais dessa região podem se proliferar e atingir outros órgãos.

Cuidar dos dentes não é apenas questão de estética, e sim de saúde. De acordo com a American Dental Association (ADA) , problemas bucais, como doença crônica gengival (periodontite), podem acarretar inclusive males no coração e nos pulmões.

Diversas doenças sistêmicas – aquelas que eventualmente afetam todo o organismo – podem ter origem em infecções orais. “Um exemplo é a endocardite bacteriana, infecção grave das válvulas cardíacas ou das superfícies do coração, cuja bactéria que causa o problema pode ser proveniente de falta de cuidados com a higiene oral, como não escovar os dentes, e de doenças bucais existentes”, explica a dra. Letícia Bezinelli, cirurgiã-dentista da unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

Um caso sério

Entre os problemas bucais mais comuns na população brasileira está a gengivite

Entre os problemas bucais mais comuns na população brasileira está a gengivite, que, quando não tratada, pode evoluir para a periodontite. Conforme a Associação Brasileira de Odontologia , menos de 22% de adultos e 8% dos idosos têm as gengivas totalmente saudáveis.

As complicações surgem quando a placa bacteriana não é removida e, assim, inicia-se a inflamação da gengiva. Suas características mais conhecidas são a vermelhidão, inchaço e o sangramento.

Quando acumulada por um período maior, a placa começa a endurecer pela deposição de sais minerais da saliva e dá origem ao cálculo dental – o tártaro – o qual fica firmemente aderido ao dente. “A escovação já não é capaz de removê-lo e, se o cirurgião-dentista não atuar, inicia-se uma destruição progressiva e irreversível das estruturas que sustentam os dentes: osso alveolar e ligamento periodontal”, alerta a dra. Fernanda de Paula Eduardo, cirurgiã-dentista da unidade de Transplante de Medula Óssea do HIAE.

Assim, um simples problema bucal se transforma em um caso mais sério, a periodontite. Essa inflamação resulta em sangramento, sensibilidade, retração da gengiva, mau hálito, mobilidade e pode acabar com a perda dental. “O grande problema da doença periodontal é que, na maioria das vezes, se comporta de forma silenciosa e assintomática e, quando o paciente percebe, já existe um comprometimento severo da estrutura dentária”, afirma a dra. Letícia Bezinelli.


Cárie dentária

Os problemas bucais não param por aí. Segundo a Associação Brasileira de Odontologia, 60% das crianças têm cárie, muito comum nessa fase da vida. É uma doença infectocontagiosa, ou seja, trasmissível. A cárie surge a partir de resíduos alimentares que permanecem em contato com os dentes e são utilizados pelas bactérias presentes na boca. Assim, surge a placa bacteriana e, a partir dessa interação, há produção de ácidos que podem destruir as estruturas dentais.

Se não for diagnosticado rapidamente, esse processo evolui e pode levar à morte da polpa – nervo responsável pela vitalidade do dente – e até à formação de um abscesso, coleção de pus com a presença de bactérias. “Nesses casos, a preocupação é grande, pois existe o risco de uma infecção local se disseminar para outras partes do organismo”, diz a dra. Fernanda.

"Conforme a Associação Brasileira de Odontologia, menos de 22% de adultos e 8% dos idosos têm as gengivas totalmente saudáveis."

Entre os motivos que levam ao problema estão sobretudo a má alimentação, o que inclui a alta ingestão de açúcar, e a falta de higiene. As orientações para evitar cáries na infância devem começar com as mães ainda gestantes, pois alguns fatores podem interferir no desenvolvimento dos dentes do bebê. Determinados antibióticos, como a tetraciclina, administrados em gestantes ou lactantes podem causar descoloração ou manchas.

Outros problemas bucais

Apesar de a cárie e a doença periodontal serem os principais e mais comuns problemas bucais, existem outras complicações que merecem destaque e alerta.

Câncer bucal (Câncer de Boca)

Mais frequente no lábio inferior, é um tumor que pode afetar todas as estruturas da cavidade oral. A incidência é alta no Brasil, com mais de 10 mil novos casos por ano, levando ao óbito cerca de 3.500 pessoas. No início, surge uma ferida na boca que não provoca dor, mas não cicatriza. Os principais fatores de risco são:

idade superior a 40 anos
fumo de cachimbos e cigarros
consumo de álcool em excesso
má higiene bucal
uso de próteses dentárias mal-ajustadas
O diagnóstico precoce é fundamental para a cura. Se houver qualquer alteração de cor e volume na boca, é necessário procurar o cirurgião-dentista.

Herpes

Costuma aparecer depois de situações que provocam baixa resistência imunológica, como estresse. Na fase inicial, o paciente pode apresentar ardor, coceira e a região fica mais avermelhada. A partir daí aparecem as vesículas, fase considerada contagiosa. Nesse período, é necessário atenção para evitar o uso conjunto de talheres, copos, entre outros objetos.

Mau hálito

Ocorre por inadequada higiene bucal, gengivite, ingestão de determinados alimentos, como molhos picantes, tabaco, boca seca e doenças do estômago, fígado e rins. Pode ser mais evidente no período matutino, devido à menor produção de saliva durante a noite, o que contribui para a deterioração dos ácidos e de outras substâncias no interior da boca.

Aftas

São ferimentos na mucosa, de coloração branca e avermelhadas ao redor. Nao existe uma causa específica para seu aparecimento e podem ser consideradas uma alteração no sistema imunológico. Duram de uma a duas semanas.

Cuidados essenciais

Outro fator importante é que a saúde da boca é necessária para a pessoa desempenhar de forma adequada a mastigação e a deglutição. Além disso, colabora com a aceitação social e melhora da autoestima, pois um sorriso harmônico significa não só saúde, mas também bem-estar.

Todos esses problemas podem ser tratados, porém os odontólogos alertam os pacientes sobre a importância da prevenção e de diagnósticos prematuros. Para tanto é preciso visitar periodicamente o dentista. Outro conselho é alimentação saudável, com pouca ingestão de açúcares, esse é o primeiro passo para a saúde bucal. Há ainda outros fatores essenciais que devem ser levados em conta: higiene oral correta, por meio de escovação dos dentes e da língua, uso de fio dental, para alcançar regiões que a escova não alcança, e uso de enxaguatório bucal.

Atendimento diferenciado

A defesa do organismo fica comprometida quando a pessoa apresenta algum problema de saúde, como câncer. A quantidade de leucócitos e plaquetas se reduz quando o paciente passa por tratamento quimioterápico. Isso pode aumentar o risco de infecção sistêmica, que pode ter origem em infecções presentes na cavidade oral. Pensando na importância da saúde oral, o Hospital Israelita Albert Einstein reforçou a equipe multidisciplinar de oncologia, que conta com enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, geneticista e, desde 2003, cirurgiões-dentistas.

O tratamento e acompanhamento odontológico são oferecidos, principalmente, a pacientes que fazem transplante de medula óssea (TMO). Isso porque o mais importante para esses pacientes é ter a certeza de um atendimento completo, seguro e que proporcione melhor qualidade de vida.

Um exemplo é a mucosite oral – uma das principais complicações do transplante de medula óssea –, processo inflamatório da mucosa oral que causa dor, dificulta a alimentação e a fala, além de aumentar as chances de o paciente desenvolver infecções. A doença pode ser tratada e até prevenida pelo cirurgião-dentista em conjunto com a equipe médica.

A equipe multidisciplinar acompanha os pacientes submetidos ao transplante de medula óssea antes, durante e depois do tratamento. É feita uma avaliação para detectar os riscos de infecções locais do paciente e evitar que tenha qualquer tipo de complicação bucal durante o tratamento oncológico. Durante o período de internação, há acompanhamento diário dos cirurgiões-dentistas. O paciente é acompanhado nos próximos cem dias, período em que alguns problemas bucais ainda podem aparecer.

Fonte: http://www.einstein.br/einstein-saude/em-dia-com-a-saude

A respiração bucal e as deformidades ...



Atualmente, os problemas respiratórios na infância estão cada vez mais freqüentes, porém pouca gente sabe, da relação desses problemas, principalmente nas crianças que respiram constantemente pela boca, com os problemas ortodônticos, a maloclusão dentária.

A respiração é junto com a mastigação, um dos principais fatores que contribuem para o correto desenvolvimento dos ossos maxilares e conseqüentemente um correto posicionamento dos dentes.

Quando a criança passa a respirar pela boca, várias alterações começam a ocorrer:

Passa a manter a boca aberta a maior parte do tempo
A língua passa a ficar mais baixa, junto ao assoalho da boca, em contato apenas com os dentes de baixo
A criança, para facilitar a respiração bucal, projeta a cabeça para a frente, esticando o pescoço, mudando a postura da coluna cervical

Essas alterações, junto com a inversão da passagem do ar (o ar passa a entrar e sair pela boca e não pelo nariz) aos poucos vão trazendo alterações para os ossos maxilares, para as arcadas dentárias e para o posicionamento correto dos dentes.

As principais alterações que vemos são o céu da boca alto e estreito, as mordidas cruzadas (quando os dentes de cima encaixam por dentro e os de baixo por fora) que podem ser uni ou bilaterais, as mordidas abertas (quando os dentes da frente não se tocam, ficando um espaço entre eles), os apinhamentos dentários (pela falta de espaço os dentes ficam amontoados) e as retrusões mandibulares (falta de crescimento da mandíbula, o osso onde ficam os dentes de baixo, deixando um espaço horizontal grande entre os dentes anteriores de cima e os de baixo).

As causas principais do aparecimento da respiração bucal são as obstruções das vias aéreas superiores, e podem ser devido à:

Obstruções nasais por alergias (Rinites e Rinossinusites)
Hipertrofia de cornetos
Desvio de septo
Adenóides aumentas
Amídalas aumentadas

A respiração bucal, hoje, pelo conjunto de sinais e sintomas associados a ela, é conhecida como a Síndrome do Respirador Bucal.

O respirador bucal além das características descritas acima ainda apresenta uma face característica, com:

Nariz estreito
Narinas afiladas
Lábio superior curto
Boca entreaberta
Olheiras acentuadas

Também pode apresentar baixo rendimento escolar, ser irriquieto, sonolento, apresentar cansaço intenso com pouco exercício físico, Ronca e baba a noite e é um forte candidaqto a apresentar apnéia do sono, ainda na infância.

É um problema sério, que envolve para o seu tratamento, vários profissionais. Em geral, o tratamento da respiração bucal envolve os médicos,principalmente o Otorrinolaringologista, que vai tratar as causas da obstrução nasal, o Ortodontista ou Ortopedista dos maxilares que vai atuar nas seqüelas bucais da respiração bucal, corrigindo os dentes e arcadas dentárias, bem como Fonoaudióloga e Fisioterapeuta.

Como toda alteração que envolve o crescimento e desenvolvimento dos ossos maxilares e arcadas dentárias, o tratamento ortodôntico das seqüelas da respiração bucal deve ser o mais precoce possível, mesmo enquanto a criança ainda tem os dentes de leite, para que essas alterações não se perpetuem durante o crescimento da criança, tornando mais difícil seu tratamento no futuro.

Fonte: www.portaldasaudebucal.com.br

A infecção periodontal e comprometimento ...

Periodontia médica não é um fato novo. Em 1900, o médico britânico Willian Hunter desenvolveu a ideia de que bactérias orais eram responsáveis por uma extensa lista de doenças sistêmicas. Essa era a teoria da “infecção focal” que caiu no descrédito nos anos 1940 e 1950.

No fim do século passado, uma quantidade expressiva de publicações chamou a atenção dos cirurgiões-dentistas para as evidências científicas das possibilidades da infecção periodontal contribuir na aterosclerose, acidente vascular cerebral, parto prematuro, doença pulmonar obstrutiva crônica, diabetes, doenças reumáticas, doenças renais.

Essas evidências científicas não podem mais serem ignoradas nas atividades clínicas diárias, pois bacteremias estão presentes na manipulação de tecidos infectados, levando toxinas para a corrente sanguínea, proporcionando riscos a outros órgãos do corpo humano.

Será que os nossos colegas estão realmente sensibilizados para reconhecer esses fatos como um fator de grande comprometimento da saúde sistêmica?

Tenho certeza que, em um futuro próximo, as nossas anotações em ficha clínica deverão ter informações sobre essas possibilidades, e um protocolo clínico deverá estar presente com mais rigor na prevenção da saúde sistêmica.

Fonte: http://inpn.com.br/Materia/PalavraDosEditores/21498

Visagismo - a arte de personalizar o desenho ...



Uma das maiores preocupações do mundo contemporâneo está relacionada à imagem. Tais características podem ser vistas através da busca incansável pela perfeição. Dentro deste conceito, a VM Cultural Editora, junto a Bráulio Paolucci e equipe, lançou a obra Visagismo - a arte de personalizar o desenho do sorriso, a qual, através de técnicas, mostra como customizar o sorriso de acordo com a personalidade do paciente, ideal para profissionais com necessidades de estudo sobre estética bucal geral.

O livro acende o debate sobre os impactos psicocomportamentais causados por intervenções clínicas e busca colaborar na construção de uma Odontologia mais humanizada. Pretende levar uma nova abordagem ao profissional da área, com soluções personalizadas aos seus pacientes, através de um desenho de sorriso que represente visualmente suas principais características.

A obra, com projeto gráfico arrojado, possui 252 páginas com imagens clínicas, de alta qualidade, de nove casos reabilitados pela técnica.

Sorriso e identidade pessoal

A Medicina mudou seu conceito, antes contemplada apenas como ciência, atualmente, passou a ser respeitada como arte. E a Odontologia também evoluiu nessa ideia. Os pacientes não apenas desejam um sorriso saudável, como também bonito. E o que é beleza? Como definir? É difícil chegar a um consenso, mas, de acordo com estudiosos, beleza é, por definição, simetria, equilíbrio, harmonia e proporção.

O Visagismo era considerado somente uma técnica para harmonizar o que envolvia o rosto, como corte de cabelo ou maquiagem, por exemplo. Porém, através da obra Visagismo, Harmonia e Estética, o artista plástico Philip Hallawell estabeleceu uma nova opinião sobre o que seria a criação ou a adequação da imagem pessoal. Seu estudo ensinou a combinar a imagem da face à personalidade do indivíduo.

Tendo conhecimento da metodologia de Hallawell, Paolucci percebeu que poderia unir as ideias apresentadas pelo artista plástico à Odontologia. A adaptação feita por Paolucci faz com que o cirurgião-dentista passe a conhecer o paciente no âmbito psicológico, com suas particularidades e desejos, para, assim, poder orientá-lo quanto às possibilidades de expressão visual e definir o que será criado em termos de desenho de sorriso. Dessa forma, o Visagismo odontológico de Paolucci conseguiu inter-relacionar conceitos de Psicologia e Antropologia com as diversas formas de arte.

"Conheci Philip em um curso de Visagismo e me encantei com a metodologia e a fundamentação científica do seu livro. Depois disso, me afastei dos trabalhos clínicos e me dediquei a uma profunda pesquisa bibliográfica por dois anos. Durante esse período, procurei desenvolver uma técnica específica para a aplicação da teoria de Hallawell na Odontologia, amparada também por outros autores consagrados da Odontologia, como Claude Rufenacht, Chiche, Fradeani, entre outros", explica Paolucci.

Depois da técnica de Visagismo aperfeiçoada, Paolucci começou a aplicá-la em seus pacientes.

Para garantir bons resultados, antes de começarem o tratamento, os pacientes passam por uma entrevista na qual são avaliados alguns aspectos da personalidade de maneira não aprofundada. "Espera-se que ao fim dessa análise, o paciente tenha refletido sobre suas principais características psicológicas e comportamentais. E, assim, possa orientar o dentista sobre quais dessas qualidades gostaria de expressar no desenho do seu sorriso. Para alcançar esse objetivo, faço uso de elementos visuais e reproduzo visualmente essa intenção", diz.

Paolucci também explica a razão da procura por um sorriso perfeito e sua relação entre a identidade pessoal. "De fato, nossa imagem pessoal é a sede da nossa identidade visual, especialmente nosso rosto. A boca é um dos elementos mais observados pelo olho humano, afinal, o conjunto de linhas e formas que compõe o desenho do sorriso lhe confere uma expressão visual. Por isso, é importante que dentistas e técnicos trabalhem de maneira consciente na escolha dessas formas e linhas da reabilitação, de modo que esses elementos visuais estejam em harmonia com as características de seus pacientes", comenta.

A proposta do Visagismo em Odontologia é colaborar para que os profissionais atinjam as expectativas dos pacientes. "A aplicação do Visagismo em Odontologia estética está bem desenvolvida. O foco agora é aperfeiçoar esse conceito nas grandes reabilitações, como próteses totais com ou sem implantes. Esses casos representam o maior desafio para a obtenção da naturalidade, pois o profissional não possui muitas referências. Por isso, temos a certeza que o Visagismo pode contribuir muito na obtenção de melhores resultados. Os casos mais complexos, envolvendo reabilitação de desdentados totais, serão apresentados no segundo volume", completa.

Fonte: http://www.inpn.com.br/Materia/DicaDeLivros/591

Medicina impressa: os avanços que a ...

Réplicas de partes do corpo, próteses e implantes produzidos por impressoras 3D sob medida ajudam o trabalho de médicos e melhoram a vida dos pacientes. Mas o melhor ainda está por vir: no futuro, essas máquinas podem imprimir órgãos humanos e acabar com a fila dos transplantes


Na década de 1980, quando a impressora 3D foi criada, seu principal uso era fabricar peças para a indústria automobilística, que se aproveitou da possibilidade de rapidamente produzir protótipos e testá-los antes de criar todas as ferramentas para a linha de produção. Desde então, armas, chocolate, canetas, brinquedos, roupas espaciais já saíram de dentro do equipamento. Nos últimos três anos, foi o setor de saúde que passou a investir na tecnologia.

Plásticos e metais estão sendo agora utilizados para criar: réplicas personalizadas de órgãos ou partes do esqueleto que permitem o planejamento preciso de cirurgias; guias cirúrgicas que indicam lugar de cortes e inserções; implantes que substituem ossos ou corrigem problemas de formação de órgãos; e próteses para membros mutilados.

O princípio da impressora 3D é o mesmo da convencional. No lugar de tinta, cientistas introduzem no aparelho pó, gel ou filamento de metal ou de plástico, que, no lugar de letras, imprime camada por camada peças tridimensionais como dedos, crânios ou dentes. A técnica permite uma personalização sem precedentes na medicina. Para criar um crânio de plástico de um paciente, por exemplo, são utilizadas como base imagens de ressonância magnética ou tomografia computadorizada da pessoa, de modo que a cópia saia idêntica ao original. Cientistas acreditam que, no futuro, será possível, em vez de metal ou plástico, utilizar células vivas como matéria-prima das peças — a chamada biotinta. Nesse processo, serão impressos órgãos idênticos aos naturais, o que pode acabar com as filas de espera para transplantes.

O Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês) lançou em junho um site dedicado ao compartilhamento de arquivos para impressão em 3D, relacionados à saúde e à ciência, como peças de laboratório e modelos anatômicos humanos. "A impressão 3D é um potencial divisor de águas para a pesquisa médica. No NIH nós vimos um incrível retorno dos investimentos: um plástico que vale centavos ajudou pesquisadores a investigar questões científicas importantes, economizando tempo e dinheiro", afirmou Francis Collins, diretor do instituto, no lançamento do site.

Implantes — Um dos principais usos das impressoras 3D mundo afora é a produção de implantes para reconstituir partes do corpo, geralmente ossos. Em março, o Centro de Tecnologias de Reconstrução Aplicadas em Cirurgia (Cartis, na sigla em inglês), no País de Gales, realizou uma das mais complexas operações para reconstituir a face de um paciente, vítima de um acidente de moto, em 2012. O objetivo era restaurar a simetria do rosto do britânico Stephen Power, que fraturou ossos da face, mandíbula superior, nariz e crânio.

A cirurgia utilizou a tecnologia 3D em diversos momentos. A primeira parte foi o planejamento, feito no computador e em moldes impressos. "Durante a operação, só é possível ver um lado da face", explica Peter Evans, especialista em próteses maxilofaciais e um dos fundadores do Cartis. "Fica difícil manter a orientação."

Os cientistas imprimiram dois implantes de titânio: um para a base da órbita ocular e outro para uma placa que uniu pedaços de ossos quebrados. "Foi a primeira vez que utilizamos todos esses procedimentos na mesma operação", conta Evans. Para o pesquisador, o uso de implantes feitos em impressoras 3D está começando a se tornar mais comum – ele estima que ocorra um caso por mês no Reino Unido, focados principalmente nas regiões craniana e maxilar.

Casos experimentais de sucesso — Em março deste ano, um implante feito com impressora 3D salvou a vida do bebê americano Garrett Peterson, de 18 meses. Ele sofre de traqueobroncomalacia, um defeito nos brônquios e na traqueia que impede a passagem de ar. Ligado a um sistema de ventilação para evitar o sufocamento, Garrett nunca havia saído do hospital e, nos últimos meses, vivia em coma induzido. Médicos implantaram um tubo impresso sob medida para desobstruir as vias aéreas do bebê e, dois meses depois, ele foi para casa.

"A ventilação pode causar complicações como pneumonia, infecções e até a morte do paciente", afirma Scott Hollister, professor de engenharia mecânica e biomédica da Universidade de Michigan, que participou da operação. Afora o benefício à saúde, a tecnologia proporcionou também economia: enquanto o tratamento com ventilação chega a 1 milhão de dólares em até dois anos, o procedimento com o implante custa cerca de 200.000 dólares.

Em outro caso experimental de destaque, estudantes de engenharia da Universidade de Washington criaram em 3D um braço robótico para uma adolescente de 13 anos. O protótipo customizado custou cerca de 200 dólares, enquanto os tradicionais podem ultrapassar 6.000 dólares. Charles Goldfarb, professor de cirurgia ortopédica e um dos mentores do projeto, conta que a equipe trabalha para publicar um artigo na literatura médica e compartilhá-lo com outros centros. "Nossos principais desafios são produzir uma prótese econômica, funcional, durável. Ela deve atender as necessidades de uma criança e ter uma aparência atrativa para ela", diz. A prótese da adolescente foi feita em plástico cor-de-rosa.

Brasil — O uso de implantes personalizados ainda não é regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para experimentar a técnica, é preciso enfrentar a burocracia do órgão e obter uma autorização especial.

O que já existe é a produção de instrumentos de planejamento cirúrgico, como a reprodução de um crânio ou de maxilar de um paciente, que auxiliam cirurgiões a simular o passo a passo de uma operação. Nesse campo, a entidade pioneira é o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), em Campinas, vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Desde 2000, o CTI produziu peças para 3 385 cirurgias. "Atendemos quase 500 casos por ano, e o número tem aumentado", diz o engenheiro Jorge Lopes da Silva, chefe da divisão de tecnologias tridimensionais do CTI.

O CTI atende praticamente apenas o Sistema Único de Saúde (SUS). A solicitação do serviço fica a critério do cirurgião, e os casos mais comuns são de reconstituição óssea — principalmente crânio, mandíbula e face —, decorrentes de acidentes, tumores ou anomalias genéticas. Em alguns casos, o rosto do paciente é impresso em máscaras para planejar a reconstituição.

Além das réplicas, o CTI produz guias cirúrgicas, que orientam o cirurgião e o ajudam a realizar incisões no local exato. "A técnica reduz o tempo de cirurgia em cerca de uma hora e meia, diminui a quantidade de anestesia aplicada no paciente e o cansaço da equipe. No conjunto, esses benefícios diminuem o risco de erros", explica Rodrigo Rezende, engenheiro e pesquisador da Divisão de Tecnologias Tridimensionais do centro.

A Anvisa informa que, diante do desenvolvimento da tecnologia, firmou uma parceria com o CTI para regulamentar o uso da impressão 3D na medicina.

Custos — Os custos com a impressão 3D podem ser relativamente modestos. Um crânio de plástico, por exemplo, custa 2.000 reais. E, de acordo com Jorge Lopes Silva, o investimento vale a pena: a qualidade da cirurgia aumenta, e as despesas totais caem, pois a operação dá menos trabalho para equipe médica, usa menos o centro cirúrgico e reduz a estadia do paciente no hospital.

Em São Paulo, a empresa UP! 3D Brasil, voltada para impressão 3D, há quatro anos produz modelos para planejamento de cirurgias no setor privado. Atualmente, atende quatro ou cinco casos por mês. "A tendência é que o uso de impressoras 3D na saúde fique mais barato e abrangente. Trata-se de uma perspectiva mundial com enorme potencial de crescimento", afirma o diretor da empresa, Flávio Ulbrich, engenheiro mecatrônico especializado em engenharia clínica.

Órgãos impressos — Para o futuro, a grande promessa são órgãos humanos impressos em 3D. Células do próprio paciente — de preferência as de fácil acesso, como da pele — seriam cultivadas em laboratório e introduzidas na impressora, que produziria partes do corpo como rim, pâncreas e fígado. O órgão passaria um tempo em uma espécie de incubadora, para maturar, e poderia, enfim, ser implantado no paciente.

Pode parecer ficção, mas as pesquisas já começaram. O Instituto de Medicina Regenerativa da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, um dos mais avançados na área de bioimpressão (impressão feita diretamente com células), desenvolveu o protótipo de um rim impresso com células e um biomaterial próprio para fixá-las, e a Organovo, primeira empresa a fabricar bioimpressoras, já imprimiu protótipos de tecido do fígado que reproduzem a composição e arquitetura naturais.

Vasos em 3D — Um obstáculo para a produção de órgãos é a vascularização dos tecidos, que precisam de uma circulação constante de nutrientes e oxigênio para sobreviver. No início de julho, um grande avanço foi obtido nessa área, quando cientistas das universidades de Sydney, Harvard e Stanford e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts utilizaram a impressão 3D para fabricar vasos sanguíneos.

A equipe imprimiu um molde em três dimensões de vasos sanguíneos e aplicou nas cavidades células endoteliais (que compõem as paredes dos canais sanguíneos) para formar os vasos propriamente ditos. Por enquanto, os cientistas fizeram apenas uma demonstração com células ósseas ao redor dos vasos e ainda não deixaram elas se desenvolverem completamente. “Queríamos provar que essa tecnologia não é tóxica para as células", diz o brasileiro Luiz Bertassoni, especialista em engenharia biomédica, que participou da pesquisa.

Há mais desafios. Quanto maior a complexidade do órgão, maior a dificuldade em lidar simultaneamente com os diversos tipos de células que o compõe. "No laboratório, a gente costuma estudar um tipo de célula de cada vez, e ainda assim é complicado. Para criar um órgão funcional é preciso trabalhar com células de diferentes tipos, em diferentes pontos. A vascularização facilita esse processo, mas a gente ainda precisa aprender a replicar essas interações intercelulares", afirma Bertassoni. Segundo o pesquisador, deve levar cerca de três décadas para um órgão impresso ser utilizado clinicamente. "Mas eu adoraria estar errado na minha previsão."

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/medicina-impressa-os-avancos-que-a-tecnologia-3d-trouxe-a-saude

Benefícios do açúcar mascavo: razões ...



Parece que não adianta tentar fugir dele. Açúcar faz mal à saúde, mas é difícil imaginar a vida sem seu sabor. Aquele bolo gostoso no fim de semana, aquela sobremesa preferida e o contraponto perfeito para o amargo do café. A gente dá duro para evitar ao máximo e colocar o mínimo de colherinhas, mas quando sente o doce na boca, se rende exatamente ao grande problema do açúcar: ele vicia.

O ideal seria liberar o paladar dessa substância que pouco oferece ao organismo. Fruto de um intenso processo de transformação, ao açúcar pouco resta da sua rica origem – a cana. O doce que nosso corpo precisa está nos próprios alimentos, principalmente nos cereais integrais como o arroz ou tubérculos como a bata-doce e a beterraba.

Mas, às vezes, parece mais forte do que a gente e, de repente, só mesmo o doce do açúcar resolve. Nessas horas, é melhor ter à mão soluções menos prejudiciais e que oferecem algum tipo de benefício ao organismo. “O açúcar mascavo é semirefinado, ou seja, uma versão mais integral dos cristais de açúcar da cana e, por isso, preserva ainda vitaminas e minerais que no branco e no demerara já não existem mais”, afirma a nutricionista Priscila Lese.



Propriedades do açúcar mascavo

O açúcar mascavo é mais escuro, marrom ou dourado, exatamente porque ainda não perdeu o melaço da cana onde vivem quantidades significativas de cálcio, ferro, potássio e magnésio. “Quanto mais escuro o açúcar, mais vitaminas e minerais ele tem”, afirma Lese. Mas não se engane: ele continua sendo tão calórico e prejudicial quanto o branco e oferece as mesmas restrições de consumo aos diabéticos.

Ele também pode exigir um tempo até que nos acostumemos. Com mais personalidade do que a versão refinada, o açúcar mascavo tem gosto forte e interfere no sabor dos alimentos. “Mas o benefício principal da versão escura do açúcar faz valer a pena a troca”, garante a profissional. “Só o fato de ele não ter recebido o tratamento químico que os cristais branquinhos receberam já é motivo suficiente para investir na substituição”, garante a profissional.

Segundo a nutricionista, os aditivos químicos presentes no açúcar branco são verdadeiros inimigos da boa saúde e deveriam ser evitados sempre que possível. “Adotar a estratégia de ter apenas açúcar mascavo em casa é uma excelente maneira de reeducar nosso paladar e, aos poucos, encontrar o doce natural dos alimentos”, conclui a nutricionista.

Fonte: http://bemleve.bolsademulher.com/

Homenagem ao Dia das Mães

Minha Mãe

Vinicius de Moraes



Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Tenho medo da vida, minha mãe.
Canta a doce cantiga que cantavas
Quando eu corria doido ao teu regaço
Com medo dos fantasmas do telhado.
Nina o meu sono cheio de inquietude
Batendo de levinho no meu braço
Que estou com muito medo, minha mãe.
Repousa a luz amiga dos teus olhos
Nos meus olhos sem luz e sem repouso
Dize à dor que me espera eternamente
Para ir embora. Expulsa a angústia imensa
Do meu ser que não quer e que não pode
Dá-me um beijo na fonte dolorida
Que ela arde de febre, minha mãe.

Aninha-me em teu colo como outrora
Dize-me bem baixo assim: — Filho, não temas
Dorme em sossego, que tua mãe não dorme.
Dorme. Os que de há muito te esperavam
Cansados já se foram para longe.
Perto de ti está tua mãezinha
Teu irmão. que o estudo adormeceu
Tuas irmãs pisando de levinho
Para não despertar o sono teu.
Dorme, meu filho, dorme no meu peito
Sonha a felicidade. Velo eu

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Me apavora a renúncia. Dize que eu fique
Afugenta este espaço que me prende
Afugenta o infinito que me chama
Que eu estou com muito medo, minha mãe.



O poema acima foi extraído do livro "Vinicius de Moraes - Poesia completa e prosa", Editora Nova Aguilar - Rio de Janeiro, 1998, pág. 186.

Feliz Páscoa




E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas.

E acharam a pedra revolvida do sepulcro.

E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.

E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes.

E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?

Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia,

Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.
Lucas 24 : 1 ao 7.

Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Mulheres de Atenas
Chico Buarque

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas; cadenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas

Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obscenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas:
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas

Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas
Não tem sonhos, só tem presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas, morenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas

Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
Às suas novenas, serenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Higienização do sítio peri-implantar




No Brasil, estima-se uma população de mais de 50 milhões de desdentados totais ou parciais. Neste contexto, os implantes osseointegrados estão se tornando uma prática clínica comum para um grande número de pacientes.


Assim, pode-se prever que em um curto espaço de tempo, teremos milhões de implantes instalados e, se não nos preocuparmos imediatamente com um protocolo de higienização de implantes, um grande número de doenças peri-implantares poderão ocorrer, comprometendo não só a saúde oral, mas a saúde geral da população.


Um fato que jamais pode ser esquecido é que a longevidade dos implantes é fundamental para a manutenção da saúde geral e da qualidade de vida dos pacientes.


Uma simples inflamação na cavidade oral pode estar relacionada com uma série de doenças e problemas sistêmicos, como por exemplo doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, distúrbios gastrointestinais, problemas respiratórios, diabetes, câncer oral, parto prétermo entre outros.


É claro que estes problemas têm um caráter primário multifatorial, ou seja, são causados por uma associação de fatores, porém, a higiene oral ocupa um lugar de destaque para prevenção destas patologias.

É Carnaval!


É chegada uma das datas mais esperadas pelo povo brasileiro, o Carnaval. Época essa em que pessoas se unem, se divertem e esquecem um pouco da rotina habitual do dia-a-dia, em que o sorriso é porta de entrada para a alegria, e permance sempre presente nos rostos de quem prestigia esse dia especial de nossa cultura.

Desejo a você e toda a sua família um merecido descanso, e um ótimo recesso de Carnaval, que nos traga energia e muita disposição para o resto do ano!

Os fogos anunciam a chegada de um ano novo

Os fogos anunciam a chegada de um ano novo !  

É hora de refazer seus sonhos ainda não realizados  e acreditar que irá concretizá-los.  

Soltar um olhar solidário e acalantador para os seus amigos e bocejar para os inimigos.  

Aprender com os erros do ano já ido e brindar o ano bem vindo com um sorriso.

Correr ao encontro daquele amor ainda não perdido ou surpreender mais uma vez o amor já conquistado.  

Desejo a você um ano repleto de luz, amor, saúde e prosperidade. Feliz Ano Novo!

IMPLANTES DENTÁRIOS: A ODONTOLOGIA ANTES E ...


Existem momentos que são únicos na história do mundo: a descoberta da pólvora, responsável pela expansão dos exércitos, a descoberta da penicilina por Alexander Flemming, responsável por curar o sofrimento de milhares de soldados de guerra, a descoberta da lâmpada e o domínio da eletricidade, a popularização dos computadores etc. Entretanto, se existe um divisor de águas na Odontologia, ele se chama: implante dentário.


Este elemento pequeno que simula uma raiz dentária artificial esperou mais de 30 anos para atingir todas as partes do globo, mas os resultados clínicos foram devastadores:


• Mudou toda a filosofia odontológica (puramente curativa e reconstrutiva): a chegada dos implantes fez com que os profissionais saíssem de uma fi losofia puramente tecnicista. Retornaram aos cursos de pós-graduação, com anseio de entender uma biologia óssea até então resumida à cicatrização, formação de um defeito e estética lançada à sorte. O número de livros, periódicos e palestras sobre o tema em meados dos anos 1990 e começo do ano 2000 era o carro-chefe. Este “vírus” se espalhou também pelos cursos de graduação.


• Devolveu a esperança aos milhões de desdentados totais: esperar que um paciente totalmente desdentado, com as arcadas maxilares atróficas, pudesse voltar a se alimentar e sorrir era algo insólito, digno de ficção científica, principalmente porque uma vez instalada a perda óssea e a remoção dos dentes, nada se podia fazer. Próteses totais e parciais removíveis eram persona non grata nos consultórios. Neste aspecto, os implantes foram usados nas regiões posteriores não só como elementos de
ancoragem, mas também como sustentáculos de membranas e enxertos ósseos e/ou biomateriais.


• Uniu definitivamente todas as especialidades odontológicas: na época, quem percebeu o que o implante representaria no consultório percebeu também que era preciso entender muito da sobrevida do elemento dentário para indicar corretamente o uso dos implantes osseointegrados.


Caro colega, hoje, podemos consagrar o implante dentário como integrante definitivo do nosso arsenal terapêutico. Que as próximas gerações briguem pelo aprimoramento da técnica (menos invasiva, sempre) e que os pacientes continuem a desfrutar deste verdadeiro milagre!


Adriano Forghieri, implantodontista e presidente da APCD.

27 de Novembro: Dia Nacional de Combate ao ...



Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo. A prevenção do câncer nem sempre é possível, mas há fatores de risco que estão na origem de diferentes tipos de tumor.

 
Confira as 10 dicas do INCA para se proteger do câncer:


1. Pare de fumar! Esta é a regra mais importante para prevenir o câncer. Se precisar de ajuda, consulte um psiquiatra para ter suporte com programas de anti-tabagismo.


2. Coma mais frutas, legumes, verduras, cereais e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. Uma alimentação saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%. Procure um nutrólogo ou um nutricionista para ter uma dieta adequada.


3.Evite ou limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Os homens não devem tomar mais do que dois drinques por dia. As mulheres devem se limitar a um drinque.


4.É aconselhável que homens, entre 50 e 70 anos orientem-se sobre a necessidade de investigação do câncer da próstata. Homens com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos devem realizar consulta médica para investigação da doença partir dos 45 anos. Procure um urologista perto de você.


5. Pratique atividades físicas moderadamente durante pelo menos 30 minutos, cinco vezes por semana. Se precisar, procure um educador físico.


6. As mulheres com 40 anos ou mais devem realizar o exame clínico das mamas anualmente. Além disto, toda mulher entre 50 e 69 anos deve fazer uma mamografia a cada dois anos. Mulheres com caso de câncer de mama na família (mãe, irmã, filha etc, diagnosticados antes dos 50 anos), ou aquelas que tiverem câncer de ovário ou câncer em uma das mamas, em qualquer idade, devem realizar anualmente o exame clínico e mamografia, a partir dos 35 anos de idade. Consulte um mastologista.


7. As mulheres com idade entre 25 e 64 anos devem realizar o preventivo ginecológico periodicamente. Após dois exames com resultado normal com intervalo de um ano, o preventivo pode ser feito a cada três anos. Para os exames alterados, deve-se seguir as orientações médicas. Visite seu ginecologista.


8. É recomendável que mulheres e homens com 50 anos ou mais realizem exame de sangue oculto nas fezes, a cada ano (preferencialmente), ou a cada dois anos. Consulte-se com um clínico geral.


9. Evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada, como chapéu, barraca e protetor solar. Um dermatologista pode ajudá-lo a se proteger e a diagnosticar algum problema com antecedência.


10. Realize diariamente a higiene oral (escovação) e consulte o dentista regularmente.


Matéria do Jornal Nacional


Sobre a Reportagem exibida dia 18/11/13 no Jornal Nacional – Médicos usam impressora 3D para ajudar no tratamento do câncer. Dr Tiago Tavares parabeniza aos profissionais da reportagem e menciona que esta técnica já é realidade na cidade de Goiânia – GO.


Esta técnica utilizada há vários anos por cirurgiões buco-maxilo-faciais pode ser utilizada para reconstrução de face em pacientes com deformidade após cirurgia de tumores em face, seqüelas de fraturas de face, deformidades faciais congênitas.


Dr Tiago Tavares menciona também que o acesso à técnica para utilização de protótipo contribui com a rapidez, previsibilidade a assertividade no tratamento em questão.


Abaixo segue a fotografia de um protótipo que o Dr Tiago Tavares está atualmente planejando - um caso de anquilose da articulação temporo-mandibular (articulação próxima do ouvido), da qual será removida e reconstruída por meio de uma prótese total de ATM.



A técnica desenvolvida no Brasil cria protótipos em gesso e silicone da área onde será a cirurgia e médicos podem simular a operação para avaliar riscos da retirada do tumor.

Pessoas que estão em tratamento para se recuperar de câncer na boca, na cabeça ou no pescoço já estão se beneficiando de uma técnica desenvolvida no Brasil.

Marcel foi o primeiro de 37 pacientes submetidos à nova técnica no Instituto do Câncer no Rio de Janeiro. Ele tinha um tumor na mandíbula, considerado extremamente grave. O economista foi operado pelos médicos Terence Farias e Mario Galvão em janeiro de 2009.

A partir de imagens em três dimensões do tumor, eles usaram uma impressora, do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, em Campinas, ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, para criar protótipos em gesso e silicone, mostrando veias cerebrais e outros detalhes.

Foram feitos modelos da cabeça e da bacia de Marcel para estudar a retirada de parte do osso ilíaco, que foi usado na reconstrução da mandíbula.

Com o protótipo nas mãos, os médicos sabem com precisão milimétrica o tamanho do tumor que deve ser retirado. E um dia antes da cirurgia podem fazer uma simulação para avaliar todos os riscos e saber exatamente onde devem ser feitos os cortes nos ossos do paciente.

No ensaio, os médicos aproveitam para dobrar a placa de titânio e escolher os parafusos usados no enxerto. Segundo os médicos, o tempo da cirurgia, que pode chegar a dez horas, foi reduzido em quase uma hora e meia. E o custo também caiu.  Além disso, é possível treinar o corte da bacia.

“Nós retiramos o osso do tamanho correto, nem maior, nem menor,  e isso vai mutilar muito menos o paciente”, explica o médico.
Até a descoberta da nova técnica, muitos pacientes saíam das cirurgias com deformações graves no rosto.

“Acometido por um câncer, ele podia ser mutilado e nós conseguimos não só tentar salvá-lo dessa doença, como tentar devolvê-lo para a sociedade de uma forma bem adequada”, aponta Terence Farias, autor da pesquisa.

A pesquisa ganhou destaque em revistas científicas internacionais, e no segundo semestre do ano que vem deve estar disponível para pacientes do Sistema Único de Saúde.

“Hoje em dia eu levo uma vida normal. Pratico até esportes. Eu gosto muito. Como, mastigo bastante. Tenho uma vida social normal como qualquer outra pessoa”, diz o paciente Marcel Carneiro, economista.





Dia mundial do diabetes

Diabetes e problemas de saúde bucal

Existe uma ligação entre as doenças gengivais e diabetes?

Dos 21 milhões de americanos que têm diabetes, muitos podem ficar surpresos com uma inesperada complicação associada com esta condição. Pesquisas sugerem que há uma prevalência aumentada de doenças gengivais (gengivite e periodontite) dentre aqueles com diabetes, somando as doenças gengivais a uma lista de outras complicações associadas com diabetes, tais como doenças cardíacas, acidentes vasculares encefálicos isquêmicos (derrame cerebral) e doenças renais.

Existe uma via de mão dupla?

Pesquisas recentes sugerem que a relação entre doenças gengivais e diabetes é uma via de mão dupla. Não somente as pessoas com diabetes são suscetíveis às doenças gengivais, mas esta pode ter o potencial de afetar o controle glicêmico no sangue e contribuir para a progressão do diabetes.

Pesquisas sugerem que pessoas com diabetes têm alto risco de adquirirem problemas bucais, tais como gengivite (um estágio inicial de doença gengival) e periodontite (doença gengival avançada com perdas ósseas). Pessoas com diabetes têm um risco aumentado para doenças gengivais avançadas porque os diabéticos são geralmente mais suscetíveis às infecções bacterianas, e têm uma diminuição na capacidade de combater as bactérias que invadem o tecido gengival.

O Surgeon General´s Report on Oral Health afirma que uma boa saúde bucal é parte integrante da saúde geral. Por isso, escove os dentes, use fio dental e consulte o dentista regularmente.

Por ser diabético corro um risco maior de ter problemas com os dentes?


Se seus níveis de glicose no sangue não forem bem controlados, você tem maior chance de desenvolver doença gengival avançada e de perder dentes quando comparado a pessoas que não têm diabetes.

Como todas as infecções, a doença gengival pode ser um fator que eleva o açúcar do sangue e pode tornar o controle do diabetes mais difícil. Outros problemas bucais relacionados com diabetes são: candidíase (sapinho - uma infecção causada por um fungo que cresce na boca), boca seca que pode causar aftas, úlceras, infecções e cáries.

Como evitar problemas dentários associados ao diabetes?

Em primeiro lugar, o mais importante é você controlar o nível de glicose no sangue. Em seguida, cuide bem dos seus dentes e gengiva e faça exames minuciosos a cada seis meses.

Para controlar as infecções por fungo, controle bem seu diabetes, procure não fumar e, se usar dentadura, remova-a e limpe-a diariamente. O controle adequado da glicose do sangue também ajuda a evitar ou aliviar a boca seca causada pelo diabetes.

Que posso esperar das minhas consultas com o dentista? Devo contar a ele que tenho diabete?

As pessoas que têm diabetes necessitam cuidados especiais e seu dentista está preparado para ajudá-lo. Mantenha seu dentista informado sobre qualquer alteração em seu estado de saúde e sobre os medicamentos que estiver tomando.Exceto em caso de emergência, não se submeta a qualquer procedimento dentário se o açúcar no sangue não estiver bem controlado.

DIABETES: SINAIS E SINTOMAS





Vantagens dos implantes guiados


realizada por meio de guia cirúrgico prototipado representa um dos grandes
avanços da Implantodontia moderna, no sentido de melhorar a previsibilidade
estético-funcional na colocação de implantes, proporcionando grande precisão
no tratamento.

Suas principais vantagens incluem a redução do tempo cirúrgico,
maior preservação dos tecidos, diminuição dos sintomas pós-operatórios, como
dor, edema e inflamação, permitindo uma cicatrização mais rápida. Portanto,
essa técnica oferece ganho estético imediato, redução da morbidade do paciente,
maior precisão cirúrgica, conforto ao paciente e segurança do profissional.

ImplantNews – Luiz J ET AL, 2013


A cirurgia ortognática e a estética facial


Desde a antiguidade e ao longo de toda a história da humanidade, a beleza tem se mostrado uma das principais preocupações e centro de discussões filosóficas. Hoje, a estética, que pode ser entendida como o estudo racional do belo, quer quanto a possibilidade da sua conceituação e a diversidade de emoções e sentimentos que suscita no homem, está cada vez mais presente nas diferentes áreas do conhecimento humano.


Com isso, a busca pela beleza, por meio de uma face com traços e feições agradáveis e um belo sorriso, é cada vez mais almejada pelas pessoas. Uma vez que um profundo desejo e respeito pelo belo sempre permearam a cultura e os sentimentos humanos, seja pelo simples fato de ser agradável aos sentidos, seja pelo status conferido a ele.

Diversos estudos identificaram as características faciais responsáveis pela estética facial agradável que estão associadas a harmonia e ao equilibrio entre as partes constituintes do perfil facial.


Grande parte da população que procura atendimento odontológico deseja melhorar a estética facial e do sorriso, para ser inserida na sociedade em que vive. Desta forma, o dentista deve ter a habilidade para reconhecer os objetivos terapeuticos de forma individualizada, com o intuito de restabelecer a harmonia facial, diante das expectativas dos pacientes.

ImplantNews - Faverani, 2013

Cientistas desfazem alguns mitos sobre a ...












 
Um estudo científico que reúne as conclusões de vários outros sobre o mesmo tema -, pesquisadores da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, desmascaram mitos comuns sobre a saúde bucal e dental e descrevem como a alimentação afeta a saúde em crianças, adolescentes,gestantes, adultos e idosos.

Mito 1: As consequências da má saúde bucal são restritas à boca

As mulheres grávidas geralmente não sabem que o que elas comem afeta o desenvolvimento dos dentes do futuro bebê. A má nutrição durante a gravidez pode tornar a criança mais propensa a ter cáries mais tarde.

“Entre as idades de 14 semanas a quatro meses, as deficiências em cálcio, vitamina D, vitamina A, proteínas e calorias podem resultar em defeitos orais,” diz Carole Palmer, coordenadora do estudo.

Alguns dados também sugerem que a falta de quantidades adequadas de vitamina B6 ou B12 podem ser um fator de risco para lábio leporino e fenda palatina.

Em crianças, a cárie é a doença mais prevalente, cerca de cinco vezes mais comum do que a asma. “Se a boca de uma criança dói devido à queda dos dentes, ela será menos capaz de se concentrar na escola e é mais provável que coma apenas alimentos mais fáceis de mastigar, mas que são menos nutritivos. Alimentos como donuts e doces são muitas vezes inferiores em qualidade nutricional e têm maior teor de açúcar que os alimentos mais nutritivos, que necessitam de mais mastigação, como frutas e vegetais,” diz Palmer. “As complicações orais combinadas com dieta pobre também podem contribuir para problemas cognitivos e de crescimento e podem contribuir para a obesidade.”

Mito 2: Mais açúcar significa mais deterioração dos dentes e cáries

Não é a quantidade de açúcar que você come, é a quantidade de tempo que o açúcar fica em contato com os dentes que importa.

“Alimentos como doces de dissolução lenta e refrigerantes ficam na boca por períodos de tempo maiores. Isso aumenta o tempo que os dentes ficam expostos aos ácidos formados dos açúcares pelas bactérias orais,” diz Palmer.

Algumas pesquisas mostram que os adolescentes obtêm cerca de 40 por cento do seu consumo de carboidratos dos refrigerantes. Esse uso constante de bebidas aumenta o risco de cárie dentária.

Refrigerantes sem açúcar e bebidas ácidas, como limonada, muitas vezes são considerados mais seguros para os dentes do que as bebidas açucaradas, mas também podem contribuir para a desmineralização do esmalte do dente se consumidas regularmente.

Mito 3: Nas crianças pequenas, não há problema em perder dentes por cárie

É um mito comum que os dentes das crianças perdidos devido a cáries são algo de menor importância porque os dentes de leite iriam cair de qualquer jeito.

Palmer observa que a cárie dentária em dentes de leite pode resultar em danos para o desenvolvimento das coroas dos dentes permanentes em desenvolvimento abaixo deles.

Se os dentes de leite forem perdidos precocemente, os dentes permanentes podem surgir mal posicionados, exigindo ortodontia mais tarde.

Mito 4: A osteoporose afeta somente a espinha e ossos dos quadris e pernas

A osteoporose também pode levar à perda de dentes. Os dentes são mantidos na mandíbula pelos ossos da face, que também podem ser afetados pela osteoporose.

“Assim, a mandíbula também pode sofrer as consequências de uma dieta pobre em nutrientes essenciais como cálcio e vitaminas D e K,” diz Palmer.

“A mandíbula, gengiva, lábios e palato mole e duro são constantemente repostos ao longo da vida. Uma boa dieta é necessária para manter a boca e as estruturas de apoio na forma ideal,” complementa.

Mito 5: As dentaduras melhoram a dieta de uma pessoa

Se as dentaduras não se ajustam bem, os adultos mais velhos tendem a comer alimentos que são mais fáceis de mastigar e de baixa qualidade nutricional, como bolos ou massas.

“Primeiro, os usuários das próteses devem se certificar de que as dentaduras estão instaladas corretamente. Se eles estão tendo dificuldade para mastigar ou sentindo desconforto na boca, podem continuar comendo alimentos nutritivos, preferindo legumes cozidos ao invés de crus, frutas em conserva em vez frutas naturais, e carne moída em vez de bife. Eles também devem beber líquidos em abundância ou mascar chiclete sem açúcar para evitar a boca seca,” diz Palmer.

Mito 6: Cáries são problema de jovens

Nos adultos e idosos, a recessão gengival pode resultar na deterioração da raiz – cáries ao longo das raízes dos dentes.

Medicamentos comuns, como antidepressivos, diuréticos, anti-histamínicos e sedativos aumentam o risco de cárie, reduzindo a produção de saliva.

“A falta de saliva significa que a boca é limpa de forma mais lenta. Isso aumenta o risco de problemas bucais,” diz Palmer. “Neste caso, beber água com frequência pode ajudar a limpar a boca.”

Adultos e idosos são mais propensos a terem doenças crônicas, como diabetes, que são fatores de risco para doenças periodontais, que começam com uma inflamação das gengivas e podem levar à perda dos dentes.

“Pacientes com diabete tipo 2 têm o dobro de risco de desenvolver doença periodontal do que pessoas sem diabetes. Além disso, a doença periodontal agrava o diabetes mellitus, de forma que uma higiene oral meticulosa pode ajudar a melhorar o controle do diabetes,” diz Palmer.

Fonte Diário da Saúde


Dia Mundial do Dentista
















No dia
03 de outubro é comemorado o Dia Mundial do Dentista. Vale lembrar que no dia 25 de outubro é comemorado o Dia Nacional do Dentista e Dia da Saúde Dentária.

Aí vão algumas dicas que irão lhe ajudar a cuidar bem dos seus dentes:

  • Visite seu dentista a cada seis meses, mesmo não sentindo dor;

  • Alimentação saudável, rica em cálcio, contribui para uma dentição perfeita;

  • A escova de dente ideal deve alcançar os dentes do fundo;

  • Use fio dental antes da escovação, assim, seus dentes ficarão livres dos resíduos mais difíceis de alcançar;

  • Os dentes dos bebês devem ser limpos com cotonete, gaze ou ponta de fralda umedecida; com isto evita-se cáries que, por mais incrível que seja, podem aparecer nos primeiros dentinhos causadas por mamadeiras ou alimentação doce;

  • Após as refeições escove sempre seus dentes, pois com os restos alimentares transformam-se em ácidos que podem destruir o esmalte.

 

Motociclistas recebem orientações para ...























Cerca de 1,3 mil motociclistas foram orientados sobre como evitar lesões e fraturas na face, em comemoração ao Dia do Motociclista.

Para comemorar o Dia do Motociclista, uma campanha foi realizada em parceria entre o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial (especialidade da Odontologia que tem como objetivo o diagnóstico e o tratamento das doenças, traumatismos, lesões e anomalias, congênitas e adquiridas, do aparelho mastigatório e anexos e estrutura crânio-faciais associadas) e o Detran, reunindo milhares de pessoas no Parque Memorial Arcoverde, em Recife. Foram realizadas palestras educativas e distribuição de folders explicativos.

Todos os anos, cerca de 30 mil brasileiros sofrem algum tipo de fratura no crânio e ossos do rosto, segundo o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. Em 2010, segundo o Ministério da Saúde, foram realizadas 145,9 mil internações de vítimas de acidentes no trânsito financiadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com um custo de aproximadamente R$ 187 milhões.

A região Sudeste concentra quase metade dessas internações (44,9%). Os dados do MS também mostram que a cada 100 mil brasileiros, 76,5 foram internados, em 2010, em decorrência de acidentes no trânsito. As maiores taxas são entre os motociclistas (36,4 por 100 mil) e pedestres (20,5 por 100 mil). Os homens representaram 78,3% das vítimas (114,2 mil), enquanto as mulheres representaram 21,7%. A maioria das pessoas internadas tinha entre 15 e 59 anos: faixa etária de 84,9% dos homens e 70,8% das mulheres.

Só em Pernambuco foram registradas no SUS, em 2013, 3,2 mil internações por acidentes de motocicletas, com uma média de permanência de 4,4 dias. “Os acidentes automobilístico e motociclístico configuram  a maior causa de traumas de face. Nossa participação  nesse projeto contribui para uma sociedade mais consciente, responsável e com menor incidência de lesões faciais por trauma. Isso também repercutirá economicamente, já que haverá menos pessoas afastadas de suas atividades laborais”, afirma a coordenadora da Campanha Nacional de Prevenção ao Trauma de Face em Pernambuco, Gabriela Granja Porto.

O uso adequado do capacete, por exemplo, diminui em 72% o risco e a gravidade de lesões, reduz a probabilidade de mortes em até 39% e os custos com tratamento associado a colisão, segundo dados do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. No Brasil, cerca de 10 mil motociclistas morrem todos os anos em acidentes no trânsito e 500 mil pessoas sofrem ferimentos, muitos deles na face, pela utilização inadequada de capacetes. Cair de um moto a 72 km por hora corresponde à queda do sexto andar de um prédio.


O Dr. Tiago Tavares fala sobre as ...

O seminário intitulado em Cirurgia ortognática: Funcionalidade ou estética foi apresentado dia 28 de maio de 2013 no Auditório da Reitoria da área IV da PUC-GO.

A Liga de Disfunção TemporoMandibular (Ladite), que reúne estudantes dos cursos de Fisioterapia, Enfermagem e Fonoaudiologia da PUC Goiás, além de acadêmicos de Odontologia da Universidade Federal de Goiás (UFG), realizou nesta semana o II Seminário de Disfunção TemporoMandibular.

O evento debateu os novos tratamentos para o problema nessa articulação em uma coletânea de palestras com enfoque multidisciplinar. O trabalho de extensão realizado pela Liga ao longo do ano também foi apresentado. “Desenvolvemos atividades de ensino, pesquisa e extensão”, ressalta a presidente da Ladite, a estudante do 9º período de Fisioterapia da PUC Goiás, Ana Cristina Neves de Barros. Ela lembra que o Seminário também contribui para a interação entre acadêmicos da instituição e de outras faculdades e universidades.

Iniciativas Em parceria com a PUC e com o Governo de Goiás, a Ladite distribui escovas de dentes e realiza orientações sobre cuidados básicos que podem evitar o desenvolvimento da disfunção temporomandibular, sobretudo durante a infância. “Os pais têm papel fundamental”, pontua Ana Cristina. Ela informa ainda que, quinzenalmente, os integrantes da Ladite cumprem um cronograma de aulas específicas, além de produzirem artigos científicos.

Ao final do evento, prova para ingresso na Liga foi realizada.

O cigarro e os implantes dentários....

O cigarro e os implantes dentários....
O cigarro não representa uma contra-indicação para realização de implantes dentários, porém o hábito de fumar prejudica a cicatrização e o processo de osseointegração dos implantes. Sendo muitas vezes responsáveis pelo processo de perda dos implantes. Talvez seja o melhor momento para sua conscientização para diminuir ou parar de fumar durante o tratamento, e quem sabe para sempre......

Acesse o site e se informe sobre o vício do cigarro e quem sabe “pare de fumar”.

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/130pararfumar.html

Os benefícios do implante dentário

Os benefícios do implante dentário

Trocar os dentes já gastos ou com muitas obturações por implantes dentários pode ser uma boa opção para quem preza pela saúde bucal, mas também não quer descuidar da estética.

Além da fácil manutenção, os implantes fornecem atividade óssea, reabilitando o dente implantado sem prejudicar os demais. Além disso, a presença do pino de titânio favorece o osso, que seria reabsorvido pelo organismo caso não estivesse sendo estimulado pela mastigação.

A manutenção também é fácil. Já existem no mercado escovas específicas para quem tem implantes e precisam cuidados especiais. A TePe, empresa sueca especializada em higiene bucal, possui escova de dentes especiais, interdentais e palitos de dente com ISO 9001:2000.

"A linha de escovas de dente é extensa e dividida entre uso diário, especiais, implantes e interdentais. O diferencial está no design e na qualidade de cerdas. Dessa maneira, fica fácil para nossos consumidores escolherem o melhor produto para a sua necessidade", explica o consultor técnico da TePe, o dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes.


www.tepe.com.br

http://www.odontomagazine.com.br/2011/07/26/os-beneficios-do-implante-dentario/

 

Colgate informa: O que são implantes ...

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.

Como funcionam os implantes dentários?

Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “prótese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.

Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

Os implantes são, em geral, mais caros que outros métodos de substituição de dentes e a maioria dos convênios não cobrem seus custos.

O tipo de implante mais recomendado na atualidade é o ósseo integrado que se mostrou uma revolução no tratamento de pacientes parcial ou totalmente desdentados.

Implantes ósseos integrado: — são implantados por meio cirúrgico diretamente no osso maxilar. O período da osseointegração (integração ao osso) leva em média 4 a 6 meses dependendo da região a receber o implante. Após este período, uma segunda cirurgia é necessária para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese que pode ser de dois tipos:

 Prótese Protocolo: — Prótese total implanto-suportada e implanto retida, fixada sobre 4 a 8 implantes em média, este tipo de prótese é parafusada e retirada apenas pelo seu dentista, é uma prótese que confere boa estética e é uma ótima opção para quem pretende fugir da dentadura, o único inconveniente é que este tipo de prótese é mais difícil de ser higienizada pois todos os dentes são conectados entre si, exigindo bastante cuidado do paciente. Pode ser feita em resina ou porcelana.

 Prótese Overdenture: — Prótese total removível sobre implante, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção. Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada.


Os pinos são colocados cirurgicamente sob a gengiva


Dentes artificiais, agrupados em uma ponte, são encaixados nos pinos.


Os implantes oferecem um encaixe bastante estável e firme


Implantes servem de base para dentes substitutos isolados.

http://www.colgate.com.br/app/CP/BR/OC/Information/Articles/Oral-and-Dental-Health-at-Any-Age/Seniors/Dentures-and-Dental-Implants/article/What-are-Dental-Implants.cvsp


Cirurgia Ortognática

Queixo muito proeminente, muito curto ou assimétrico, exposição exagerada da gengiva ao sorrir ou não mostrar os dentes durante o movimento dos lábios, não gostar de tirar fotos de perfil por causa do queixo, evitar sorrir em público. Estes são sinais e sintomas que podem indicar a necessidade de uma cirurgia ortognática. Esta cirurgia corrige a posição dos maxilares e dentes.

• Os maxilares não ficam bloqueados (travados) após a cirurgia;

• O paciente pode conversar imediatamente após o procedimento;

• O procedimento requer 24 horas de internação na maioria das vezes;

• Os pacientes retornam às atividades trabalhistas geralmente em 10 dias;

• O tratamento ortodôntico está associado a cirurgia;

• Os convênios com planos hospitalares são obrigados por lei a cobrirem o procedimento de cirurgia ortognática (Agência Nacional de Saúde Suplementar - Lei 9.656/98; RN 262 de 2010; RN 259 de 2011);

• As técnicas menos invasivas propiciam maior conforto pós-operatório aos pacientes;

• Cada vez mais os pacientes se aderem ao tratamento para cirurgia ortognática;

• Todo paciente é submetido a exames médicos detalhados antes do procedimento e consulta prévia com anestesista;

• A tecnologia está cada vez mais a favor do cirurgião bucomaxilofacial e do paciente.

A utilização de guia cirúrgico prototipado e ultrasom (piezocirurgia) para a realização da cirurgia ortognática têm proporcionado maior precisão com exatidão nos resultados com menor tempo cirúrgico e de internação.

Esta tecnologia está presente no consultório do Dr. Tiago Tavares. Agende uma consulta e seja bem vindo(a)!

Dr. Tiago Tavares CROGO 8969
Rua 3, n 800 – Setor Oeste. Goiânia – GO
(62) 3531-8708

 

As principais dúvidas sobre planos de ...

As principais dúvidas sobre planos de saúde

As principais dúvidas dos usuários de planos de saúde podem ser esclarecidas no telefone 0800 701 9656 da ANS (agencia nacional de saúde suplementar). Este é um órgão de extrema competência do Ministério da Saúde, que tem como função, dentre tantas outras, fiscalizar os planos de saúde em todo o Brasil.

Mesmo que em seu contrato tenha escrito claramente que não cobre “este ou aquele procedimento”, verifique e tire suas dúvidas junto a ANS, pois este órgão estabelece leis que devem ser cumpridas à risca pelos planos de saúde.

• Tenha em mãos sua carteirinha do plano ou boleto bancário ou o contrato.

• Ligue 0800 701 9656 de qualquer telefone (celular ou fixo) e digite:

• Para tirar dúvidas: Opção 1 e posteriormente Opção 1.

• Para reclamações sobre um plano de saúde: Opção 1 e posteriormente Opção 2.

Faça valer seus direitos como usuário!

Cirurgia Ortognática utilizando ...

Para a realização do procedimento de cirurgia ortognática, é necessário o corte preciso e milimétrico do tecido ósseo, denominado de osteotomias. Isto se dá uma vez que os maxilares devem ser posicionados corretamente conforme o planejamento cirúrgico. O método utilizado antigamente para a realização de tal fato era o cinzel e o martelo. Posteriormente utilizou-se as brocas. Com o avanço surgiram as microserras. Atualmente estudo comprovam que a Piezocirurgia é a técnica mais moderna, precisa e delicada para a realização das osteotomias (cortes ósseos).

A principal vantagem da Piezocirurgia é que, uma vez em contato com tecidos moles, o dispositivo cessa sua atividade, preservando totalmente a integridade de vasos e nervos.

Ao utilizar serras comuns ou brocas em osteotomias, há necessidade de se aplicar pressão, mesmo que discreta, para que se obtenha o corte, implicando em certo grau de aquecimento, tanto do osso quanto dos tecidos moles adjacentes. O corte piezelétrico não deve utilizar pressão, pois o excesso de força sobre o instrumento interrompe a sua atividade sobre o osso.

Uma vez que não lesa tecidos moles, o dispositivo reduz sensivelmente o sangramento durante as intervenções cirúrgicas, melhorando a visibilidade durante o procedimento e diminuindo fenômenos inflamatórios indesejáveis, como edema e dor.

O aparelho atua com suavidade, precisão micrométrica e com qualidade comprovadamente superior à das serras oscilatórias convencionais - que utilizam macrovibrações ou brocas cirúrgicas.

A Piezocirurgia traz uma série de benefícios, incluindo: precisão, segurança, reduz traumas porque há menor chance de aquecimento, de remoção de estrutura óssea e edemas; e possibilita um curto prazo de recuperação.

Ao realizar cirurgias ortognática, o Dr. Tiago Tavares utiliza a técnica descrita acima – Piezocirurgia, proporcionando aos seus pacientes as vantagens da biotecnologia sempre em evolução. Agende sua consulta e seja bem vindo(a)!

Benefícios dos implantes dentários!


A maior queixa dos pacientes sobre as próteses convencionais ou popularmente chamadas de dentaduras é a má estabilidade, pouca eficiência mastigatória e estética indesejável.

Por serem integrados aos maxilares, os implantes dentários oferecem um suporte estável para os dentes artificiais, que são chamados de próteses sobre implante. Esta estrutura possui o benefício de não se deslocar ou escorregar durante a fala ou mastigação. Trazendo um grande benefício psicológico, social e funcional ao paciente.

Para que o implante dentário seja instalado é necessário que haja gengiva sadia e quantidade de osso adequada para suportar os implantes. O exame físico para avaliação específica do paciente é crucial, posteriormente a isto, exames de imagem como radiografia e ou tomografia serão necessários. E para alguns casos em específico, exames de sangue podem ser requisitados.

Para uma avaliação detalhada para que possamos recuperar seu sorriso, agende uma visita com o Dr. Tiago Tavares e seja bem vindo (a)!

Cirurgia Ortognática: estética ou ...


Relembrando o conceito, cirurgia ortognática é executada por um cirurgião buco-maxilo-facial, com o intuito de melhorar o encaixe dos dentes e consequentemente a melhora da estética facial.

A face é definida como o principal fator na atratividade de um indivíduo. A aparência é uma das funções primárias da face. A globalização e a mistura de etnias têm proporcionado novos padrões de beleza na estética da face.

A maioria dos pacientes que visitam o cirurgião buco-maxilo-facial são acompanhados de queixas estéticas em sua face e em seus dentes.

A odontologia moderna tem se preocupado cada vez mais com a estética do sorriso e a sua integração e proporcionalidade com a face. O contorno do sorriso e sua relação com os dentes e o perfil de face harmônico são os pontos chave para uma cirurgia ortognática.

Conhecimentos de padrões de beleza impostos pela mídia consumista têm enfatizado aos consumidores, ou seja, aos pacientes, padrões de beleza que funcionam como agente norteador na decisão do tratamento para cirurgia ortognática. Os pacientes estão cada vez mais exigentes e participativos.

O principal benefício da cirurgia ortognática é a melhora do padrão psicossocial, uma vez que a face proporciona um significado importante na vida e interatividade social. Estudos internacionais recentes comprovam isto e demonstram ainda que indivíduos que necessitam de cirurgia ortognática são mais retraídos, apresentam baixa autoestima e elevados níveis de ansiedade.

Concluindo, cirurgia ortognática: estética ou função? Por que não as duas coisas?

 

Plano de saúde cobre cirurgia ortognática?


Conforme as Resoluções Normativas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a cirurgia ortognática faz parte do rol de procedimentos dos planos de saúde hospitalar, ou seja, existe a obrigatoriedade por parte dos convênios em cobrir as cirurgias ortognáticas, pelos planos hospitalares em qualquer lugar do Brasil.
Rol de Procedimentos é a lista dos procedimentos, exames e tratamentos com cobertura obrigatória pelos planos de saúde, conforme a segmentação assistencial do plano.

A Resolução 10 do CONSU, de 4 de novembro de 1998, em seu artigo 5º, inciso I, impõe a obrigatoriedade de cobertura das cirurgias bucomaxilofaciais:

I – cobertura de cirurgias odontológicas buco-maxilo-faciais que necessitem de ambiente hospitalar.

A Resolução Normativa 211 da ANS, segue no mesmo sentido:

VIII - cobertura dos procedimentos cirúrgicos buco-maxilo-faciais, para a segmentação hospitalar, incluindo a solicitação de exames complementares e o fornecimento de medicamentos, anestésicos, gases medicinais, transfusões, assistência de enfermagem, alimentação, órteses, próteses e demais materiais ligados ao ato cirúrgico utilizados durante o período de internação hospitalar;

Qual a importância da ANS?

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde responsável pelo setor de planos de saúde no Brasil.
De forma simplificada, a regulação pode ser entendida como um conjunto de medidas e ações do Governo que envolvem a criação de normas, o controle e a fiscalização de segmentos de mercado explorados por empresas para assegurar o interesse público.
A ANS possui a missão de promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, regular as operadoras - inclusive quanto às suas relações com prestadores e consumidores - e contribuir para o desenvolvimento das ações de saúde no país.
A ANS tem por valores institucionais a transparência dos atos, que são imparciais e éticos, o conhecimento como fonte da ação, o espírito de cooperação e o compromisso com os resultados.
Para dúvidas, sugestões e denúncias dos planos de saúde, disque gratuitamente para a ANS – 0800 701 9656, e faça valer os seus direitos!

Cirurgia do siso



Veja aqui detalhes do processo de cirurgia do dente siso. Ao final, caso tenha alguma dúvida, comente-a para que possa ser respondida.

• A remoção do dente do siso é um procedimento simples, rápido e de rotina em um consultório com cirurgião bucomaxilofacial.

• Uma radiografia panorâmica geralmente é suficiente para realização do procedimento.

• Os dentes do siso podem estar inclusos ou erupcionados.

• Quanto mais jovem o paciente for submetido a este procedimento melhor é a recuperação no pós-operatório.

• Os pacientes não relatam dor no pós-operatório, uma vez que a medicação iniciada antes da cirurgia e após a cirurgia consegue controlar a dor leve que o paciente sentiria.

• Os cuidados no pós-operatório inclui repouso relativo, dieta pastosa e fria, evitar esforço físico por dois dias e uso de medicamentos conforme prescrição.

• Assim como não existe procedimento cirúrgico sem edema (inchaço), a remoção dos sisos podem proporcionar um leve edema que terá seu pico máximo em três dias e sua regressão total em até sete dias.

• Dependendo da profissão do paciente, seu retorno às atividades pode se dar em três dias.

• A remoção dos pontos se faz sete dias após a cirurgia.

 

Enxerto Ósseo - Principais conceitos












Quando fazer?

Sempre que um dente é removido, por qualquer motivo, ocorre naturalmente a perda óssea ao redor deste elemento dentário perdido. Com o passar do tempo a contínua perda óssea ocorre a ponto de não haver espaço suficiente para instalar um implante dentário, pois o implante é adaptado no interior do osso dos maxilares. Este processo de atrofia ou absorção ou perda óssea é um fenômeno natural, mas existem maneiras de reverter este quadro. O enxerto ósseo para implantes dentários é processo pelo qual o cirurgião-dentista com especialidade e formação para tal, promove a instalação de um substituto ósseo para a reposição, ganhando estrutura para permitir assim a instalação do implante dentário.

Em grande parte dos casos o paciente pode ter perdido o dente há vários anos e não necessitar de enxerto ósseo. Uma avaliação minuciosa realizada pelo Dr. Tiago Tavares é necessária para a decisão.

Quais os exames para enxerto ósseo?
Na grande maioria das vezes uma radiografia panorâmica associada a uma tomografia computadorizada específica para odontologia são necessários para a realização do enxerto ósseo.

Local da cirurgia:
Este procedimento é realizado no consultório odontológico sob anestesia local em quase 100% dos casos. Em alguns casos, existe a possibilidade de realizar o procedimento sob sedação intravenosa (medicação na veia) no consultório com a presença de um anestesista. Isto permite um maior conforto para o paciente. Porém isto depende do grau de ansiedade do paciente, que deve optar pela escolha junto ao cirurgião responsável.

Repouso:
O tempo de repouso do procedimento cirúrgico depende da profissão do paciente. Se for um profissional que exija esforço físico como um atleta, um personal trainer ou fala bastante como um professor, um cantor, o tempo pode variar de 10 a 15 dias. Já um profissional que seu ambiente de trabalho seja um escritório, o tempo de repouso pode ser de 5 a 7 dias.

Período entre o enxerto e o implante:
Os implantes dentários na grande maioria das vezes não são inseridos no mesmo dia do enxerto ósseo. O tempo entre a cirurgia do enxerto ósseo e a cirurgia de implante dentário é de 3 a 6 meses, para que ocorra a cicatrização do enxerto e sua integração ao local instalado. Este tempo dependerá da região onde o enxerto foi posicionado, da quantidade dos implantes e da técnica empregada.

Tipos de enxerto:
Os tipos de enxerto ósseo mais utilizados são do próprio paciente (osso autógeno) ou pode ser de materiais sintéticos. O enxerto ósseo feito com osso do próprio paciente é capaz de formar um osso de maior qualidade e quantidade em menor tempo. A cirurgia para retirada e instalação do enxerto sempre é realizada no mesmo momento cirúrgico. Sendo comprovado cientificamente o melhor tipo de enxerto existente. O osso pode ser removido da própria mandíbula do paciente, em sua porção posterior. Com a constante evolução científica, existem biomateriais que podem ser utilizados em alguns casos para a cirurgia de enxerto ósseo. São materiais adquiridos comercialmente sempre com respaldo de garantias por comprovação científica e registro na Anvisa. No consultório do Dr. Tiago Tavares é realizado todos os tipos de enxerto ósseo para melhor adaptação dos implantes.

Taxas de sucesso:
A chance de falha ou rejeição de um enxerto ósseo é quase nula, principalmente se for de estrutura óssea do próprio paciente. As taxas de sucesso são cada vez maiores e o conforto pós operatório é cada vez mais predominante.

Limitações:
Qualquer pessoa desde que cessado o crescimento pode ser submetido a cirurgia de enxerto ósseo e que goze de bom estado de saúde geral. O Dr. Tiago Tavares fará uma avaliação criteriosa para decidir a necessidade de exames complementares para realização da cirurgia.

 

Implante Dental - Definição e principais ...
















O IMPLANTE DENTAL é um cilindro de titânio com roscas externas que tem a função de substituir a raiz dos dentes. Este material possui a característica de biocompatibilidade, portanto, não sendo rejeitado pelo organismo. Uma coroa dentária de resina ou porcelana é adaptada sobre esta estrutura do implante. Restabelecer a função e a estética dos dentes é o objetivo dos implantes dentários.

01) Quando sou candidato a implantes dentários?
Considere-se um candidato quando:
a) Faltar um ou até mesmo todos os dentes da boca
b) Faltar estabilidade e retenção em sua prótese
c) A prótese estiver machucando ou esteticamente inadequada
d) Houver dificuldade na mastigação dos alimentos.

05) O procedimento é indolor?
A instalação dos implantes dentários é realizada em um consultório sob anestesia local, sendo um procedimento mais simples e que requer menos tempo do que a extração de um dente incluso. Os pacientes não relatam desconforto pós-operatório.

02) Quais os benefícios dos implantes dentários?
a) Estabilizar uma prótese (dentadura)
b) Recuperar estética e função mastigatória
c) Diminuir a sobrecarga em dentes remanescentes
d) Frear a reabsorção óssea
e) Repor dentes sem desgastar os dentes vizinhos.

03) Existe limite de idade?
Após o término do crescimento, qualquer pessoa pode receber implantes, não existindo idade limite.

04) Qual a taxa de sucesso?
As taxas de sucesso atualmente registradas superam 95%.

05) Os implantes dentários são idênticos aos dentes naturais?
Jamais será. Os implantes são denominados como a “terceira dentição” e criada pelo homem. Como tal, poderá lhe dar conforto e segurança, poderá aumentar sua eficiência mastigatória, poderá ainda restabelecer seu sorriso e sua espontaneidade, mas será sempre um trabalho artificial fundamentado na evolução científica, nas disponibilidades tecnológicas atuais e na busca incessante pela perfeição.

07) Quanto custa um implante?
Estabelecer valores para uma reabilitação bucal com implantes requer uma avaliação criteriosa clínica e radiograficamente, pois existem inúmeras particularidades envolvidas: Quantidade e disposição dos implantes, disponibilidade óssea e gengival em quantidade, espessura e qualidade, biotipo do paciente como sexo, altura, peso e idade, disposição e quantidade dos dentes remanescentes, presença de outros tipos de materiais protéticos e restauradores na cavidade bucal.

Cirurgia Ortognática - Principais ...










CIRURGIA ORTOGNÁTICA
é o procedimento realizado por Cirurgiões-Dentistas especialistas em Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, para correção das deformidades dento faciais, ou seja, o mau posicionamento dos maxilares e dentes. Os tecidos moles da face, ou seja, a musculatura e pele sobrejacente acompanham esta desarmonia. Características transmitidas geneticamente perfazem um queixo longo ou curto demais. A correção estética e principalmente funcional dos maxilares é o principal objetivo da cirurgia ortognática. O aparelho ortodôntico deve ser utilizado antes a após a cirurgia.

1) Quando eu preciso de Cirurgia Ortognática?
Quando os dentes superiores não encaixam perfeitamente com os dentes inferiores dá-se o nome de má oclusão dentária. A base óssea para os dentes superiores é a maxila, e a base óssea para os dentes infeiores é a mandíbula. Por um fator de genética, o osso maxilar e ou mandibular podem estar em uma posição inadequada fisiologicamante. Em consequencia disto, os dentes também estarão fora de suas posições corretas.
Portanto a cirurgia Ortognática estará indicada para adequar corretamente os ossos maxilar e mandibular em sua posição correta e a Ortodontia para posicionar os dentes em sua posição desejada para o perfeito equilíbrio da oclusão (mordida) e da face.

2) Quais os profissionais envolvidos na Cirurgia Ortognática?
O Cirurgião Bucomaxilofacial e Ortodontista são os profissionais responsáveis pelo diagnóstico, planejamento, execução e finalização do caso.

3) Esta cirurgia pode ser realizada no consultório sob sedação?
Não. A cirurga Ortognática é realizada em um seguro centro cirúrgico hospitalar sob anestesia geral.

4) Quanto tempo ficarei internado?
De 1 a 2 dias.

5) Quais os tipos de Cirurgia Ortognática?
A Cirurgia pode ser na maxila (maxilar superior) e ou na mandíbula (maxilar inferior), associada ou não ao mento ("ponta do queixo"). Isto será definido pelas suas características faciais, medidas radiográficas e dos modelos de gesso.

6) Ficarei impossibilitado de abrir a boca após a cirurgia?
Não. Com o advento das fixações ósseas por meio de miniplacas e miniparafusos, não existe a necessidade de bloqueio dos dentes e maxilares.

7) Existe cicatriz no pós operatório?
Não. A cirurgia atualmente é realizada totalmente por dentro da boca.

8) Como é o pós operatório?
A Cirurgia Ortognática é um procedimento que inevitavelmente proporciona edema em face, podendo ser associado a pequenos pontos de equimose (roxos) na pele, porém não há relatos de dor por parte dos pacientes. É possível e viável falar no pós operatório imediato. O tempo de recuperação é de aproximadamente 1 semana. É importante levar em consideração o tipo de Cirurgia Ortognática envolvida e a resposta fisiológica de cada indivíduo.

9) Quanto tempo demora o tratamento ortodôntico?
Em média de 6 meses a 1 ano e meio antes da cirurgia; e 6 meses a 1 ano após a cirurgia.

10) O que acontece se eu fizer somente o tratamento ortodôntico e não realizar a cirurgia Ortognática?
Uma vez a ortodontia realizada isoladamente o seu problema será mascarado, e não resolvido. Os dentes estarão em uma posição quase aceitável, os ossos maxilares continuarão em uma posição inadequada fisiologicamente, não haverá equilíbrio na oclusão dentária e a harmonia facial ficará comprometida.

11) Quanto custa uma Cirurgia Ortognática?
O planejamento envolvido pode consistir em uma cirurgia que envolva somente um maxilar ou em conjunto com o outro maxilar e o mento (queixo), para isto existe a necessidade de analisar exames radiográficos para que medidas angulares e lineares sejam feitas individualmente. Outras variáveis como o Hospital, tempo de internação e tipo de material utilizado interfere no planejamento financeiro de cada caso. A cirurgia ortognática consta no rol de procedimentos da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), portanto uma grande fatia deste investimento é coberta pelos planos de saúde hospitalares.

 

Bem-vindos ao Blog do Dr Tiago Tavares

Sejam bem-vindos, clientes, amigos, colaboradores, estudantes, profissionais e parceiros.

Apresentamos a todos o blog do odontólogo Tiago Tavares.

Ele graduou-se em Odontologia pela Universidade Federal de Goiás, fez Residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo Hospital Mário Gatti – Campinas – SP. É membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucoma-xilofacial e mestrando em Clínica Odontológica pela Faculdade de Odontologia – UFG.

Suas áreas de atuação são: cirurgia ortognática, implante dental, enxerto ósseo, trauma de face, cirurgia do siso e patologia bucal.

Aqui no blog, poderão ser encontradas dicas e explicações sobre todos os processos.Vídeos, pós operatório, recuperação, como ocorre e muito mais serão postados aos poucos neste espaço.

Caso haja alguma dúvida, curiosidade ou sugestão de algo que possa ser postado por aqui, mande para o email: tiagotavaresbucomaxilo@gmail.com.